Você já reparou que uma animação de inicialização diferente é inserida a cada nova versão do Windows? Já parou para pensar como as coisas mudaram ao longo desses quase 30 anos de informática? Pois é, os sistemas evoluíram consideravelmente, e algumas vezes um aproveitou a ideia do outro.

A evolução foi notável em diversos aspectos visuais, mas o site “The Restart Page” resolveu reunir uma série de processos de reinicialização para mostrar um pouco dessas diferenças. Hoje, você vai conhecer as principais alterações que foram realizadas ao longo dos anos nos sistemas da Apple, da Microsoft e até das pouco conhecidas NeXT e Amiga.

Oi, eu sou a BIOS

Se você começou na era da informática na época dos ultrabooks, é provável que você não veja quase nada de código rudimentar na tela do seu computador. No entanto, quem iniciou no ramo com os sistemas mais antigos sabe que a história era bem diferente.

(Fonte da imagem: Reprodução/The Restart Page)

Antes de chegar até a tela de boot do sistema, o computador processa uma série de informações básicas, conferindo se todos os componentes estão funcionando da maneira correta. Nesses preciosos segundos, que antigamente podia demorar minutos, a BIOS (Sistema Básico de Entrada/Saída) organizava tudo para que o sistema pudesse funcionar corretamente.

(Fonte da imagem: Reprodução/The Restart Page)

Na época do OpenStep (sistema da NeXT), do Workbench (software dos computadores Amiga), do Windows 1.0 e de tantos outros, podíamos ver diferentes telas da BIOS. Em alguns sistemas, depois de realizar o teste de memória, a máquina exibia quais slots estavam ocupados, os respectivos IRQs (pedidos de interrupção) e outros detalhes.

A evolução gráfica é necessária

Sejamos sinceros, a primeira impressão é a que fica. Tudo bem que nem sempre damos muita atenção às telas de inicialização, mas, de certa forma, elas são o primeiro contato com o sistema. Se você teve a oportunidade de usar alguma versão antiga do Windows, talvez se lembre de que, antes de chegar à logo do sistema, era necessário digitar um comando no MS-DOS.

(Fonte da imagem: Reprodução/The Restart Page)

Naquela época, o Windows mostrava apenas uma figura estática, com poucas cores, e reproduzia um som “fantástico”. Ao longo dos anos, a Microsoft investiu no funcionamento automático do sistema, fazendo com que o utilizador não tivesse que digitar comando nenhum. Bastava apertar o “Reset” e aguardar até que o computador carregasse o desktop.

(Fonte da imagem: Reprodução/The Restart Page)

As telas de inicialização foram mudando, ganharam mais cores, uma barra de animação e um toque de design que fazia toda a diferença. A Microsoft manteve sua tradição do Windows 95 ao 2000, modificando os planos de fundo e o estilo da barra de carregamento, mas somente com a chegada do XP é que tivemos a oportunidade de ver algo diferente no boot do sistema.

(Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Nas versões mais recentes do sistema, a empresa adotou uma logo no centro da tela e uma barra de carregamento simplificada. No Windows 7, a tela de inicialização mostrava um pouco do luxo do sistema, algo notável pelo brilho que transpassava a logo do produto. O Windows 8 voltou à simplicidade com uma nova logo e um ícone em forma de circunferência.

A Apple sempre inovando

É claro que a Microsoft não foi a única a inovar nesse sentido. A Apple, primeira empresa a lançar um sistema operacional gráfico para o segmento doméstico, também fez uma série de alterações em seu software ao longo dos anos. Nos primórdios, quando o Apple II era o top de linha, o boot do sistema ocorria em uma tela azul e exigia comandos manuais.

(Fonte da imagem: Reprodução/The Restart Page)

Depois, com a introdução do Mac System, algumas coisas mudaram, mas as linhas de código ainda estavam presentes. De certa forma, isso era interessante, pois o utilizador sabia exatamente o que estava sendo processado. Contudo, considerando que a ideia era simplificar as coisas, a Apple começou eliminar a parte “feia” do boot.

(Fonte da imagem: Reprodução/The Restart Page)

Hoje, no Mac OS X, tudo o que você vê é a logo minimalista da marca e um ícone de carregamento que mostra que o computador está funcionando. Ao entrar na interface gráfica, uma pequena janela mostra quais itens estão sendo processados.

Você não precisa conhecer os códigos

Conforme comentamos anteriormente, os PCs mais recentes não mostram nada da BIOS ou de linhas de código. As fabricantes de placa-mãe investiram em telas de boot que encobrem quaisquer informações que não sejam vitais para o utilizador.

Os computadores mais recentes, no entanto, nem sequer mostram uma logo simples. Basta pressionar o botão de Power para visualizar quase que instantaneamente a tela de inicialização do Windows.

Boot veloz com SSD quase elimina tela de inicialização (Fonte da imagem: Divulgação/Sony)

Graças aos drives SSD, às memórias de alta velocidade e aos processadores avançados, as máquinas não precisam de muito tempo para que todos os componentes sejam verificados. Quase instantaneamente, tudo está pronto para iniciar. Então, em questão de alguns segundos, você já está na tela de login do sistema.

No fundo, essa eliminação de dados técnicos não gera problemas para o utilizador comum. Entretanto, considerando que algumas pessoas gostam de ter o controle da máquina, a falta de informações sobre o hardware pode impedir que alguns problemas sejam resolvidos de forma simples. Você conhece alguma outra tela que não foi mostrada? Deixe seu comentário.

Cupons de desconto TecMundo: