Imagem de: O novo scaner 3D do MIT é extremamente preciso e pode baratear a tecnologia
Fonte: YouTube

O novo scaner 3D do MIT é extremamente preciso e pode baratear a tecnologia

1 min de leitura
Avatar do autor

Recentemente, os cientistas do MIT (Massachusetts Institute of Technology ou Instituto de Tecnologia de Massachussetts) conseguiram desenvolver uma tecnologia que pode fazer uma grande diferença no futuro: um scanner 3D extremamente preciso e barato.

Aparatos que “enxergam” a terceira dimensão geralmente são bem caros e imprecisos. Entretanto, os pesquisadores encontraram uma maneira de melhorar ambos os quesitos, e, surpreendentemente simples: polarização.

Por mais incrível que pareça, essa técnica pode aprimorar em até mil vezes o sensor de qualquer scanner 3D. Além disso, a tecnologia é portátil, algo que poderia ser acoplado nos smartphones do futuro. Abaixo está uma imagem comparando um Kinect, um aparelho convencional e um equipamento com a invenção do MIT:

Mas como funciona?

Como você pode observar na foto acima, a diferença entre as imagens é gigantesca. Porém, como que uma tecnologia tão simples pode ajudar a melhorar tanto os scanners 3D? O grande truque é que os sensores conseguem captar a orientação da luz refletida nos objetos em conjunto com a estimativa de profundidade já utilizada por eles.

Dessa forma, os aparelhos conseguem ser precisos na faixa de micrometros (um milésimo de um milímetro). Agora, resta esperar que a descoberta seja bem aproveitada pela indústria. Quem sabe daqui a alguns anos teremos smartphones que leem ambientes e recriam lugares em 3D apenas com a câmera traseira?

Você apostaria em scanners 3D acoplados nos smartphones do futuro? Comente no Fórum do TecMundo

Fontes

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Veja também
O novo scaner 3D do MIT é extremamente preciso e pode baratear a tecnologia