Hoje em dia, as selfies já são um fenômeno cultural tão importante que o ato de fotografar o próprio rosto acaba assumindo papéis que vão muito além da mera vaidade. Afinal, os autorretratos já servem para abrir uma conta de banco, validar o cartão de crédito e até mesmo garantir a segurança do seu celular. Agora, no entanto, os EUA querem levar a selfie a um novo patamar ao permitir que ela possa ser usada para declarar seu imposto de renda.

Com a data final de envio do documento chegando também para os norte-americanos, o governo do estado do Alabama resolveu inovar ao se associar com a MorphoTrust para permitir que seus contribuintes possam realizar a declaração de uma forma mais, digamos, tecnológica. O app da desenvolvedora utiliza um sistema próprio de identificação eletrônica para autenticar o usuário e autorizar a expedição do arquivo.

Processo é simples e aposta em segurança

Quem ajudar nos testes da plataforma vai ter algumas vantagens

Como no início do processo o cidadão precisa tirar uma foto de um documento de identidade, o sistema usa essa informação e a selfie tirada na hora para bater esses itens junto ao banco de dados do estado – garantindo que toda a operação seja segura e livre de fraudes. O incentivo para declarar o IR desse modo em vez do jeito tradicional? Bem, quem ajudar nos testes da plataforma vai ter prioridade tanto no processamento da declaração quanto na fila de restituição. Bacana, hein?

Esse “empurrãozinho” pode acabar reduzindo um pouco os números de evasão fiscal no país, que, segundo pesquisas recentes, perde cerca de US$ 400 bilhões anualmente com esse tipo de crime – um valor que pode ser convertido para nada menos que R$ 1,3 trilhão.

Vale a pena?

Ok, tudo muito legal, certo? Porém, partindo do princípio que “não existe almoço grátis”, qual seria a pegadinha do projeto? A resposta é simples e pode deixar o público mais preocupado com sua privacidade com os dois pés atrás: ao tirar selfies e atrelar essas imagens à sua identificação, você está ajudando o governo a criar um poderoso banco de dados de reconhecimento facial. Aí, a decisão de usar ou não seu rosto para enviar o IR vai do seu desconfiômetro do que as autoridades podem fazer futuramente com essa informação.

E aí, você toparia algo parecido com isso aqui no Brasil? Deixe a sua opinião sobre o tema mais abaixo, na seção de comentários.

Cupons de desconto TecMundo: