Não importa o que você está fazendo: há uma grande probabilidade de você estar sendo vigiado e, caso alguém queira, poderá com facilidade rastrear os seus passos e descobrir exatamente o que você andou aprontando. Você duvida? Pare e reflita um pouquinho.

Seu histórico de navegação, sua rede de amigos e as comunidades que você participa no Orkut falam muito sobre você de modo que, de posse de informações como essas, traçar um perfil de sua personalidade não é uma tarefa difícil. Na vida “offline” a situação não é diferente.

Nas grandes cidades, há câmeras acompanhando o fluxo de pedestres e o tráfego nas principais avenidas. Suas transações bancárias, os livros que você lê emprestados da biblioteca e as pessoas com quem conversa no dia a dia são uma fonte riquíssima de informação que, por mais que você se esforce, é praticamente impossível manter o controle sobre elas.

Porém, fique tranquilo. Se você é um cidadão de bem é provável que o acesso a informações como essas nunca precise ser feito. No entanto para os criminosos, o cerco aos roubos e a vigilância cada vez maior são um verdadeiro tormento.

cada vez mais criminosos são descobertos pela internet

Crimes na rede mundial

No mês de março a polícia italiana prendeu um dos cem criminosos mais perigosos do país graças ao Facebook. Pasquale Manfredi, um dos líderes da Ndrangheta, a máfia calabresa, estava foragido e costumava acessar a rede social diretamente do seu esconderijo. A polícia o encontrou graças à interceptação do sinal de um modem USB que ele utilizava para se conectar.

No caso recente do assassinato do cartunista Glauco, um dos indiciados por cumplicidade no crime, inicialmente negou conhecer o acusado de cometer o crime. A informação não se sustentou porque horas depois foi descoberto que ambos eram amigos no Orkut já tendo, inclusive, trocado mensagens.

Embora ainda não disponha de uma infra-estrutura exemplar, é cada vez maior a utilização da internet por parte dos policiais durante as investigações de crimes ou mesmo na busca por foragidos. A rede é um prato cheio de informações que, quando cruzadas, podem revelar muito mais do que você imagina.

Big Brother Mundial

Uma casa cercada de câmeras por todos os lados com participantes confinados. A premissa do reality show Big Brother Brasil nada mais é do que uma realidade fora das quatro paredes nos dias de hoje. Em cidades de grande e médio porte, as câmeras de segurança estão espalhadas por todos os lados.

Elas vigiam o tráfego de veículos em rodovias, o fluxo de pedestres nas principais avenidas, a movimentação de torcedores dentro de um estádio de futebol, a entrada e saída de pessoas dentro de um elevador. Sem falar das câmeras de celulares filmando cenas do cotidiano por aí.

Atualmente acidentes de trânsito já são resolvidos utilizando a tecnologia. Um exemplo recente aconteceu em Curitiba, envolvendo o deputado Fernando Ribas Carli. Num acidente de trânsito em que ele se envolveu uma das provas utilizadas para calcular o excesso de velocidade do veículo no momento da colisão foram algumas imagens gravadas por câmeras de segurança de prédios da rua onde o acidente ocorreu.

Câmeras de segurança permitem controle total de vários ambientes simultâneamente.

Gadgets de espionagem

Nos cinemas, desde o final da década de 60 o espião James Bond consagrou uma série de acessórios inusitados que o ajudaram a se tornar o agente secreto mais famoso do mundo. Na vida real demorou um pouco mais, mas eles chegaram e hoje já podem ser encontrados com muita facilidade em lojas de eletrônicos e pela internet.

São canetas com filmadora, bolsas com câmeras escondidas, calculadoras com escutas e interceptadores de chamadas telefônicas - o popular grampo. Tudo isso, além de fazer parte do arsenal de investigadores e detetives particulares também está disponível para o grande público.

Cuidado: em algum lugar pode ter alguém olhando...

Retrato falado e suposto

Umas das técnicas utilizadas pela polícia na identificação de criminosos é o chamado retrato falado, um desenho em que as vítimas ou testemunhas descrevem as características físicas do acusado, facilitando a busca por parte dos policiais.

A técnica continua sendo utilizada. A novidade é que agora, utilizando programas computação gráfica, é possível desenhar um retrato falado “atualizado” com o passar do tempo. Ou seja, o rosto de um jovem de 15 anos, por exemplo, 5 anos depois apresenta muitas modificações.

Com softwares específicos é possível realizar cálculos como esse, tornando a vida útil do retrato falado maior. A técnica também é utilizada como auxílio na busca por crianças desaparecidas e projeta o possível rosto da vítima depois de adulto.

O que o futuro reserva?

No filme Minority Report – A Nova Lei a sociedade conseguiu desenvolver um sistema, baseado em poderes paranormais, onde o futuro é visualizado antes mesmo que aconteça. Esse sistema é conhecido como pré-crimes e tem como função punir os culpados antes mesmo que cometam um crime.

O que parece uma ideia exclusiva do mundo da ficção científica está perto de se tornar realidade. Pelo menos na teoria. O Departamento de Justiça Juvenil do estado da Flórida via utilizar um programa da IBM para análise de prevenção de crimes.

A ideia é colocar possíveis criminosos em programas de prevenção específica educacional. Obviamente o projeto encontra muita resistência, pois viola a Constituição norte-americana e a Declaração Universal dos Direitos Humanos. Explicando: nenhuma dessas leis pode pressupor que alguém é criminoso e sim, inocente até que se prove o contrário.

Como você imagina que será o futuro do combate ao crime? Que outras soluções poderiam ser implantadas para que a população pudesse ter mais segurança? Participe deixando o seu comentário.

Cupons de desconto TecMundo: