Hacker coloca à venda dados de 1 bilhão de chineses na dark web

1 min de leitura
Imagem de: Hacker coloca à venda dados de 1 bilhão de chineses na dark web
Imagem: Shutterstock

Dados de 1 bilhão de cidadãos chineses, supostamente roubados da base de informações da polícia da maior cidade do país, estão à venda em um fórum na dark web, de acordo com reportagem da Reuters publicada nesta segunda-feira (4). O vazamento, se confirmado, será uma das maiores violações de dados já registradas.

Conforme a postagem no Breach Forums, feita na última semana, o pacote à venda teria sido extraído do banco de dados da Polícia Nacional de Xangai. Nomes, endereços, números de celular, número de identificação nacional, local de nascimento e informações sobre crimes cometidos, entre outros detalhes, estariam incluídos no vazamento.

O usuário responsável pela oferta, que aparece na plataforma com o apelido “ChinaDan”, afirma que o suposto pacote com informações vazadas tem um total de 23 terabytes de dados. A compilação está sendo vendida por 10 bitcoins, o equivalente a pouco mais de R$ 1 milhão pela cotação atual da criptomoeda.

Números de telefones, documentos e fichas criminais são algumas das informações à venda.Números de telefones, documentos e fichas criminais são algumas das informações à venda.Fonte:  Shutterstock 

A notícia da possível violação ao sistema da Polícia de Xangai causou grande repercussão nas redes sociais chinesas ao longo do final de semana, deixando a população preocupada. A hashtag “vazamento de dados” chegou a ser bloqueada na rede social Weibo no domingo (3).

Autenticidade dos dados é questionada

Embora o autor da postagem no fórum da dark web afirme que a lista à venda seja autêntica — ele disponibilizou uma pequena amostra dos dados para os interessados —, ainda não há qualquer confirmação oficial do vazamento. O Departamento de Polícia e o governo de Xangai não se pronunciaram sobre o caso, até o momento.

Mas enquanto as autoridades se mantêm em silêncio, usuários que visualizaram a amostra oferecida pelo cibercriminoso confirmaram a sua legitimidade, segundo o Asia Markets. Quem também falou sobre o vazamento foi o CEO da Binance Changpeng Zhao, afirmando que a corretora intensificou o processo de verificação de usuários após a oferta de dados vazados no fórum hacker.

Vale destacar que a China aprovou, no ano passado, uma nova lei a respeito do tratamento de dados na internet, para garantir uma maior privacidade, depois de muitas reclamações relacionadas ao uso indevido das informações.