Raspberry Pi detecta malwares por ondas eletromagnéticas

1 min de leitura
Imagem de: Raspberry Pi detecta malwares por ondas eletromagnéticas
Imagem: Shutterstock/Reprodução
Avatar do autor

Especialistas do Instituto de Pesquisa de Ciência da Computação e Sistemas Aleatórios da França (IRISA) desenvolveram um inovador sistema de detecção de malwares baseado no Raspberry Pi. O projeto, apresentado pela entidade em dezembro do ano passado, não depende de nenhum software para identificar as ameaças virtuais.

O novo sistema anti-malware usa um osciloscópio e uma sonda H-Field conectados ao pequeno computador de baixo custo para escanear ondas eletromagnéticas específicas, emitidas por computadores sob ataques cibernéticos. Tais anormalidades identificadas pela ferramenta ajudam a detectar o tipo e a identidade do malware envolvido na campanha, de acordo com os pesquisadores.

Usando Redes Neurais de Convolução (CNN), o mecanismo é capaz de determinar se as informações coletadas estão relacionadas à presença de alguma ameaça. E como não há o uso de antivírus e outros programas do tipo, a técnica evita tentativas de ocultação do código malicioso pelos cibercriminosos, aumentando as chances de detectá-lo.

O sistema apresentou precisão de 99,82% nos testes iniciais.O sistema apresentou precisão de 99,82% nos testes iniciais.Fonte:  TechTribune/Reprodução 

Nos testes feitos pela equipe, a inteligência artificial utilizada para treinar o detector de malwares acoplado ao Raspberry Pi obteve precisão de 99,82%. O mecanismo é capaz de realizar 100 mil rastreamentos de medição de dispositivos infectados por amostra de vírus, segundo os especialistas.

Uso comercial está longe de acontecer

Embora a tecnologia tenha apresentado resultados interessantes e vantagens como a independência de softwares adicionais e a facilidade de se “esconder” dos cibercriminosos, o sistema está longe de chegar ao usuário final. O mecanismo foi criado para fins de pesquisa e ainda precisa de alguns ajustes e melhorias.

Segundo os autores do estudo, o projeto está na fase inicial e depende de um maior período de treinamento da rede neural antes da sua utilização comercial. Outro desafio está em reduzir os custos relacionados ao equipamento de varredura de ondas eletromagnéticas, avaliado em milhares de dólares, pois a ideia é desenvolver uma ferramenta anti-malware de baixo custo.