Kaspersky revela como compartilha dados com governos

1 min de leitura
Imagem de: Kaspersky revela como compartilha dados com governos
Imagem: Kaspersky/Reprodução
Avatar do autor

A companhia de cibersegurança Kaspersky publicou, nesta terça-feira (28), um relatório inédito no qual detalha a forma como lida com solicitações de dados por governos e autoridades legais. O documento detalha o número de pedidos de informações e conhecimentos técnicos recebidos pela empresa durante o ano de 2020 e o primeiro semestre de 2021.

A divulgação, que visa dar maior transparência ao tratamento do compartilhamento de dados, acontece em um contexto de aumento no número e complexidade de ataques cibernéticos. Isso provoca a necessidade de empresas, governos e comunidade de TI de colaborarem e trocarem informações para enfrentar os cibercriminosos.

Solicitações de informações

Kaspersky revela como compartilha dados de cibersegurança. (Fonte: Kaspersky/Reprodução)Kaspersky revela como compartilha dados de cibersegurança. (Fonte: Kaspersky/Reprodução)Fonte:  Kaspersky/Reprodução 

No documento, a Kaspersky separa as solicitações de autoridades legais internacionais em dados das pessoas, que envolve casos de usuários específicos, e conhecimento técnico, informações genéricas como processos e falhas.

No ano passado, a empresa recebeu 160 solicitações de governos de 15 países. Destas, 132 se tratavam de informações técnicas não-pessoais. A Kaspersky rejeitou 19% dos pedidos e respondeu os demais. As autoridades legais fizeram 28 solicitações de informações de usuários. Todas foram rejeitadas por ausência de dados ou falta de cumprimento dos requisitos de verificação legal.

No primeiro semestre de 2021, 105 solicitações de governos de 17 países foram realizadas para a Kaspersky. Do total, 40% dos pedidos foram rejeitados pela empresa.

Entre os países, a Rússia foi responsável por 142 solicitações nos 18 meses, o que representa mais da metade dos pedidos dos governos. A Coreia do Sul foi o segundo país no ranking, com 35 solicitações. Durante o período, apenas 4 pedidos foram realizadas por autoridades do Brasil.

A Kaspersky também detalhou as solicitações recebidas de usuários, como a remoção de dados pessoais e detalhes de quais dados e onde as informações são armazenadas. No primeiro semestre de 2021, o número de pedidos chegou a quase 1.200, mais que o dobro registrado em todo o ano passado.