O Facebook anunciou hoje (27) que vai começar a banir conteúdos e perfis racistas, como nacionalismo branco e separatistas, da rede social. A decisão foi empurrada pelo massacre feito por um nacionalista branco na Nova Zelândia, há duas semanas, que transmitiu ao vivo toda a ação no Facebook.

“Hoje estamos anunciando a proibição do elogio, apoio e representação do nacionalismo branco e do separatismo no Facebook e no Instagram, que começaremos a aplicar na próxima semana. É claro que esses conceitos estão profundamente ligados a grupos de ódio organizados e não têm lugar em nossos serviços”, afirma o Facebook.

Não toleraremos elogios ou apoio ao nacionalismo e ao separatismo branco

Racismo sempre foi algo proibido no Facebook, mas a rede social não havia “desenhado” publicamente outros pontos que o racismo traz, como o nacionalismo branco e o separatismo. Agora, frases como “imigrantes estão destruindo nosso país” serão vistas como contrárias às políticas do Facebook.

“Enquanto as pessoas ainda podem demonstrar orgulho em sua herança étnica, não toleraremos elogios ou apoio ao nacionalismo e ao separatismo branco. Também precisamos melhorar e agilizar o processo de encontrar e remover o ódio de nossas plataformas. Nos últimos anos, melhoramos nossa capacidade de usar aprendizado de máquina e inteligência artificial para encontrar material de grupos terroristas. No outono passado, começamos a usar ferramentas semelhantes para estender nossos esforços a uma série de grupos de ódio em todo o mundo, incluindo os supremacistas brancos. Estamos progredindo, mas sabemos que temos muito mais trabalho a fazer”, diz a rede social.

Usuários que forem identificados propagando discursos de ódios ou usuários que façam buscas sobre os temas serão redirecionados para o site da organização Life After Hate, uma ONG formada por ex-extremistas que ajudam em intervenções de crises, educação, grupos de suporte etc.

Cupons de desconto TecMundo: