O dia 5 de fevereiro é o Dia Mundial da Internet Segura e serve para conscientizar os usuários sobre crimes que acontecem no ambiente online, algo ainda pouco tratado na sociedade, mesmo tanta coisa acontecendo na internet. Para reforçar as ações dessa data, a SaferNet, uma associação civil de direito privado que defende os direitos humanos na rede, divulgou alguns dados sobre o assunto.

Quando tratamos de casos atendidos com a ajuda da plataforma SaferNet, foram mais de 24 mil nos 12 anos de existência

Segundo a entidade, houve uma alta de 109,95% em denúncias de crimes na internet durante o ano passado. Foram 133.732 queixas de crimes em 2018 contra pouco mais de 63 mil em 2017. A SaferNet mantém uma plataforma de denúncias anônimas na internet em uma parceria com o Ministério Público Federal. Desse total de queixas, o primeiro lugar fica com os crimes de pornografia infantil, com mais de 60 mil denúncias. Confira a lista:

  • 1 - Pornografia Infantil - 60.002 denúncias (alta de 79,58%)
  • 2 - Apologia e incitação a crimes contra a vida - 27.716 (alta de 154,46%)
  • 3 - Violência contra mulheres/misoginia - 16.717 (alta de 1.639,54%)
  • 4 - Xenofobia (principalmente contra nordestinos) - 9.705 (alta de 567,93%)
  • 5 - Racismo - 8.337 (alta de 37,71%)
  • 6 - LGBTfobia - 4.244 (alta de 59,13%)
  • 7 - Neonazismo - 4.244 (alta de 51,70%)
  • 8 - Maus tratos contra animais - 1.142 (queda de 76,98%)
  • 9 - Intolerância religiosa - 1.084 (queda de 27,83%)
  • 10 - Tráfico de pessoas - 509 (queda de 14,45%)

Quando tratamos de casos atendidos com a ajuda da plataforma SaferNet, foram mais de 24 mil nos 12 anos de existência. Apenas em 2018 houve um aumento de 72% em casos de auxílio concreto, sendo os principais crimes envolvendo vazamento de nudes ou exposições íntimas, ciberbullying, fraudes ou golpes, problemas com dados pessoais e conteúdos violentos.

Cupons de desconto TecMundo: