A treta é antiga: em 2015, a Lenovo foi acusada de pré-instalar adware em mais de 750 mil notebooks. O adware em questão se chama VisualDiscovery e foi desenvolvida pela empresa Superfish para injetar propaganda nos computadores.

Lenovo: embora discorde das alegações contidas nessas reclamações, temos o prazer de encerrar este assunto

Na época, foi descoberto que o adware comprometeu proteções de segurança instaladas por usuários, além de acessar dados financeiros e permitir ataques man-in-the-middle em redes privadas.

No dia 21 de novembro, a justiça da Califórnia, nos Estados Unidos, fez um acordo com a Lenovo e decidiu que a empresa deverá pagar US$ 7,3 milhões para os clientes que tiveram seus notebooks infectados com o adware.

Anteriormente, a Lenovo comentou que, “embora discorde das alegações contidas nessas reclamações, temos o prazer de encerrar este assunto após dois anos e meio. Até o momento, não temos conhecimento de nenhuma instância real de terceiros explorando as vulnerabilidades para obter acesso às comunicações de um usuário”.

Cupons de desconto TecMundo: