O CEO da Google Sundar Pichai afirmou que o buscador voltado ao mercado chinês é apenas um “experimento”. Batizado de Project Dragonfly, o buscador compreenderia todas as regulamentações e censuras perpetuadas pelo governo da China — e isso causou um desconforto até na própria Alphabet, dona da Google.

Políticos dos EUA, ativistas de direitos humanos e alguns funcionários da Alphabet criticaram o projeto da Google

Pichai ainda comentou que o Dragonfly não seria lançado em domínio público, o que contradiz os últimos relatos de que a plataforma seria aberta, afirma o Bloomberg.

“O mecanismo de busca da China foi revelado no início deste ano em reportagens, estimulando críticas de políticos dos EUA, ativistas de direitos humanos e alguns funcionários da Alphabet. Funcionários da empresa disseram que um mecanismo de busca que facilitasse a censura estaria em conflito com os valores do Google”, escreveu o veículo.

Em uma carta, a Alphabet disse o seguinte sobre o caso: “Nós precisamos urgentemente de mais transparência e um compromisso sobre processos claros: os funcionários da Google precisam saber o que nós estamos construindo”.

Cupons de desconto TecMundo: