Um malware bancário chamado “Clean Droid” simulava ser um aplicativo que melhorava o desempenho de smartphones Android e também encontrou seu caminho dentro da Play Store, loja oficial da Google. Antes de ser derrubado da loja de apps, o Clean Droid teve mais de 500 instalações.

Segundo Lukas Stefanko, pesquisador da ESET, o malware também foi compartilhado por meio de anúncios patrocinados no Facebook. O pesquisador ainda nota que o Clean Droid fazia parte de uma família de malwares que envolvia um aplicativo para monitorar o Facebook chamado “Quem viu teu perfil” que contou com mais de 10.000 instalações, e um aplicativo chamado “MaxCupons” que registrou 1.000 instalações da loja oficial do Google.

Os três aplicativos maliciosos foram especificamente desenvolvidos para infectar usuários no Brasil

“Depois de instalados, esses aplicativos solicitavam que os usuários ativassem os serviços de acessibilidade”, explica a ESET. “Dessa forma, o malware obtinha o nome e o conteúdo de aplicativos legítimos que tivessem sido executados. O objetivo desses aplicativos é induzir os usuários a inserir seus dados de acesso no contexto de uma atividade falsa causada pela infecção. Nesse sentido, essa família de trojans tentava afetar cerca de 26 aplicativos móveis legítimos, dos quais nem todos são apps bancários, mas também financeiros, de entretenimento, mídias sociais, compras on-line, entre outros”.

cleandroidAnúncio falso

Caso você tenha qualquer aplicativo desses instalado, a solução agora é fácil: basta fazer o processo de desisntalação.

Cupons de desconto TecMundo: