Desde que os criadores do Instagram deixaram o Facebook, muitos dos usuários têm estado apreensivos com relação às mudanças que essa debandada pode causar — especialmente porque Kevin Systrom e Mike Krieger seriam os únicos que ainda barravam alguns projetos considerados mais invasivos à privacidade na plataforma. Agora, parece que as temidas alterações começam a se tornar realidade.

A pesquisadora Jane Machum Wong, especialista em varrer códigos de apps em busca de experimentos das companhias e possíveis futuras funcionalidades em plataformas, flagrou uma mudança nas configurações de privacidade e segurança do Instagram. Em “Location History”, seção que armazena os lugares por onde você visitou, um novo texto diz que “Permite ao Facebook Products, incluindo o Instagram e o Messenger, a construir e usar o histórico preciso das localizações recebidas por meio dos serviços de localização do seu dispositivo”.

De acordo com o texto completo, todas as coordenadas coletadas pelo Instagram com o uso do GPS poderão ser utilizadas pelo Facebook, mesmo que você não esteja usando a rede social de fotos. Com isso, a empresa de Zuckerberg teria mais uma grande base de dados para explorar em anúncios e experiência customizadas, a partir do comportamento e hábitos dos usuários de sua outra empresa.

Facebook não confirma, mas também não nega

Em 2016, o Facebook já acenava com a possibilidade de explorar com mais profundidade as plataformas que havia adquirido nos anos anteriores, a exemplo do WhatsApp. Na ocasião, a companhia foi questionada por muitos e neste ano essa troca de dados foi condenada pela União Europeia e a nova lei de uso de dados, a GDPR.

Segundo fontes do TechCrunch, a insistência e pressão de Mark Zuckerberg para explorar mais os dados obtidos pelo Instagram seriam justamente o que estaria por trás de uma suposta tensão com os fundadores do Instagram, Systom e Krieger. Aliás, a saída de ambos estaria relacionada à decadência do relacionamento entre as partes.

instagramFonte: TechCrunch

De acordo com um porta-voz do Facebook, por enquanto tudo não passa de testes. “Muitas vezes trabalhamos em ideias que podem evoluir com o tempo ou, em última instância, não serem testadas ou liberadas. O Instagram atualmente não armazena o Histórico de Localização e manteremos as pessoas atualizadas sobre alterações em nossas configurações de localização no futuro.”

Cupons de desconto TecMundo: