Sabe aquelas conversas que rolam dentro de um grupo de WhatsApp do qual você faz parte? Elas são confidenciais e tirar print delas para mostrar para outras pessoas, dependendo do resultado disso, pode ser uma brincadeira bem cara, resultando na necessidade do pagãmente de uma indenização para quem se sentir lesado. Foi isso o que aconteceu com um ex-funcionário do Coritiba Foot Ball Club, time de futebol da Série B do Campeonato Brasileiro.

O usuário que vazou as conversas foi processado pelos outros oito participantes, cuja defesa alegou que o grupo havia sido criado para facilitar a comunicação entre eles

Bruno Kafka fazia parte de um grupo do WhatsApp chamado “Indomáááááável F.C” juntamente com oito membros da diretoria do clube de futebol. Lá, além de informações importantes sobre o time, veiculavam piadas, brincadeiras e comentários particulares que diziam respeito apenas a quem participava do grupo. Porém, em 2015, Kafka vazou prints das conversas na imprensa, causando uma crise institucional no Coritiba.

Resolvendo na justiça

O usuário que vazou as conversas foi processado pelos outros oito participantes, cuja defesa alegou que o grupo havia sido criado para facilitar a comunicação entre eles, visto que compartilhavam de estreitos laços de amizade, com alguns, inclusive, se conhecendo desde a infância.

O juiz responsável pelo caso, James Hamilton de Oliveira Macedo, da Justiça do Paraná, condenou Kafka a pagar uma indenização no valor de R$ 5 mil para cada participante

Já o acusado alegou não ter laços de proximidade com os outros participantes e que decidiu publicar o conteúdo das conversas do grupo como um exercício de sua liberdade de expressão no papel de alguém que queria informar os torcedores do Coritiba sobre a situação interna real do clube.

Seja como for, o juiz responsável pelo caso, James Hamilton de Oliveira Macedo, da Justiça do Paraná, condenou Kafka a pagar uma indenização no valor de R$ 5 mil para cada participante do grupo pela prática incorreta, visto que considera privada a conversa dentro do WhatsApp e que o conteúdo deveria ser mantido apenas entre os membros.

Cupons de desconto TecMundo: