A empresa de segurança digital Malwarebytes revelou nesta semana um novo malware para macOS encontrado em milhares de computadores da Maçã nas últimas semanas. O código, segundo a companhia, não é sofisticado, mas é capaz de utilizar boa parte do poder de processamento dos dispositivos das vítimas para minerar Monero, uma das principais criptomoedas do mercado depois de Bitcoin e Ethereum.

O malware pode ser facilmente identificado pelos usuários através da central de processos do macOS. Segundo a Malwarebytes, o minerador funciona em segundo plano sob o nome de “mshelper” e consome praticamente todo os recursos da CPU que não estão em uso por outras aplicações.

O que ele causa?

Malwares de mineração de criptomoedas para macOS estão crescendo recentemente, tanto quanto vemos no mundo do Windows

Entre os efeitos colaterais, temos superaquecimento das máquinas afetadas, lentidão do sistema e, talvez consequentemente consumo de bateria maior. “Malwares de mineração de criptomoedas para macOS estão crescendo recentemente, tanto quanto vemos no mundo do Windows”, disse Thomas Reed, pesquisador de segurança digital na Malwarebytes.

Reed ainda explicou que esse malware segue o padrão de outros malwares mineradores feitos para Mac e consegue infectar usuários de uma maneira bem simples, provavelmente sendo instalado a partir de instaladores de outros programas ou mesmo vindo embarcado em arquivos de mídia baixados via torrent e outros meios de consumo de pirataria. Ainda assim, a forma exata de disseminação é desconhecida.

Se o seu antivírus ou antimalware não está reconhecendo e removendo esse código malicioso do seu computador, é possível fazer isso manualmente — de tão simples que é o malware — seguindo as instruções da Malwarebytes como publicadas aqui.

Cupons de desconto TecMundo: