A polícia do País de Gales, no Reino Unido, trabalha com um equipamento de reconhecimento facial em grandes eventos para identificar possíveis criminosos. Ano passado, durante o final da Champions League, a polícia escaneou o rosto de mais de 170 mil cidadãos que foram estádio de futebol ou ficaram nos arredores.

Em uma partida de rugby, a taxa ficou em 87%

Por lá, as câmeras identificaram 2.470 pessoas como criminosos. O problema disso? 92% destas pessoas, 2.297, nunca cometeram qualquer tipo de crime registrado previamente pela polícia. Uma taxa alta de falsos positivo.

De acordo com a Wired, o mesmo padrão seguiu em outros eventos: durante uma luta de boxe, a polícia registrou 90% de falso positivo. Já em uma partida de rugby, a taxa ficou em 87%.

  • A polícia defendeu a tecnologia e comentou que, apesar da alta taxa, ninguém foi preso:

"Claro que nenhum sistema de reconhecimento facial é 100% preciso em todas as condições. As questões técnicas são normais para todos os sistemas de reconhecimento facial, o que significa que os falsos positivos continuarão a ser um problema comum no futuro previsível. No entanto, desde que introduzimos a tecnologia de reconhecimento facial, nenhum indivíduo foi preso quando um alerta falso positivo levou a uma intervenção e nenhum membro público se queixou", disse a polícia.

Para a BBC, o chefe de polícia Matt Jukes comentou o seguinte sobre o equipamento: "Precisamos usar a tecnologia quando temos dezenas de milhares de pessoas nessas multidões para proteger todo mundo, e estamos tendo ótimos resultados disso".

Cupons de desconto TecMundo: