Essa é a ideia da diretora de operações do Facebook Sheryl Sandberg. Caso as pessoas queiram usar a rede social (que tem seus negócios baseados em publicidade) sem que seus dados sejam coletados, elas teriam que pagar por isso.

A afirmação vem em uma entrevista que buscava entender melhor como o Facebook se portará após o escândalo com a Cambridge Analytica (CA). Sandberg disse para a NBC que eles não alertaram os usuários afetados porque a rede social acreditava que a CA havia deletado esses dados. Uma atitude completamente ingênua ou mentirosa dos executivos do Facebook, vale notar — a rede social soube do vazamento há 2 anos e meio. "Eles tinham nos garantido [que haviam apagado os dados], mas nós deveríamos ter checado isso", disse Sandberg. E você pode trocar "que haviam apagado os dados" por "que Papai Noel existe".

Sandberg deixou claro que os usuários teriam que pagar se não quisessem os dados usados para publicidade dentro do Facebook

Felizmente, Sandberg não falou que essa história acaba aqui. "Não vou sentar aqui e dizer que não encontraremos mais vazamentos. Nós vamos".

Quando indagada sobre integridade e venda de dados, Sandberg comentou que o Facebook não vende diretamente os dados aos anunciantes, mas permite o oferecimento de publicidade direcionada e personalizada. A executiva ainda disse que existem diversas maneiras de saída da rede social, "mas [os usuários] não possuem uma saída de alto nível. Isso seria um produto pago", afirmou.

Ou seja, Sandberg deixou claro que os usuários teriam que pagar se não quisessem os dados usados para publicidade dentro do Facebook. Após a entrevista, o Facebook alertou que não vai oferecer um modelo pago e, especificamente sobre a fala de Sandberg, tudo não passou de "termos hipotéticos".

Cupons de desconto TecMundo: