Você pode ter sido espionado e não sabe. É o que afirma um estudo responsável por descobrir uma rede de desenvolvimento de spywares governamentais, supostamente localizada em um prédio no Líbano. Os objetivos do programa não foram apontados, mas as informações coletadas assustam.

Segundo o diagnóstico, as táticas da “Dark Caracal”, como foi nomeada a central, são direcionadas a pessoas via ataque de phishing, implantando malwares silenciosos nos telefones para coletar dados, tais como senhas, registros telefônicos e conversas. Essas informações são suficientes para que um relatório de atividades da vítima possa ser construído. A maioria dos afetados possui aparelho com sistema operacional Android, mas isso não significa que outros softwares não estejam correndo o risco.

malware

A equipe de pesquisadores que descobriu tudo isso rastreou dados de localização da equipe desenvolvedora, provando que as informações coletadas são incriminatórias e se encontram no Líbano. O dado mais relevante para encontrar a central foram várias redes WiFi conectadas a uma matriz, chamada de “Bld2F6”. Essa central faz parte de uma das encontradas no centro de Beirute, administrada pela Direção Geral de Segurança do Líbano, principal agência de inteligência do país.

Beirute

Muitas teorias, poucas certezas

Segundo o relatório, essa rede pode ser responsável por encontrar contraventores de uma campanha de 2015 no Cazaquistão. Outra questão que gera algumas teorias são os locais de onde os telefones foram rastreados, como a Alemanha, o Paquistão e, até mesmo, a Venezuela.

espionagem

Poucos dados sobre os desenvolvedores foram localizadas pela equipe investigadora, liderada por Eva Galperin. O que se sabe é que muitas dessas informações são sigilosas e podem trazer grandes prejuízos aos afetados.

Cupons de desconto TecMundo: