A criptografia é um amontado de números e letras que deixam as coisas mais seguras e protegidas de intrusos. Porém, como deixar o tráfego de internet, por exemplo, ainda mais seguro? Segundo a Cloudflare, com 100 lâmpadas de lava.

O youtuber Tom Scott visitou a Cloudflare nos Estados Unidos para mostrar como uma das maiores companhias de segurança e domínios da internet gera números e letras aleatórios para encriptar o tráfego de seus "produtos".

Como você pode ver no vídeo abaixo, a Cloudflare usa uma parede com 100 lâmpadas de lava que geram caracteres aleatórios: as "bolhas de lava" são gravadas em tempo real e, então, "traduzidas via software" em chaves de encriptação. Dessa maneira, como não há um padrão nas bolhas, a encriptação é totalmente aleatória.

Não são apenas as bolhas o negócio das lâmpadas de lava — também é levado em conta o estado do ar e a luz ambiente

A Cloudflare nota que protege cerca de 10% do tráfego em domínios HTTP e HTTPS; além disso, que oferece serviços como proteção DDoS — negação de serviço, um ataque comum entre grupos hackers para derrubar um site ou subdomínios.

Segundo Nick Sullivan, líder da equipe de criptografia na Cloudflare, "toda vez que você bater uma foto da parede de lâmpadas, existirá algum tipo de estática, de ruído. Então, não são apenas as bolhas o negócio das lâmpadas de lava — também é levado em conta o estado do ar e a luz ambiente — cada pequena mudança impacta no fluxo de dados obtido".

Abaixo, você acompanha o vídeo

Cupons de desconto TecMundo: