Você conferiu recentemente um exemplar do sistema de vigilância utilizado na China para rastrear pessoas em tempo real, além de garantir reconhecimento facial avançado. Agora, algo semelhante vem à tona também na Rússia, mais precisamente em Moscou. A prefeitura da capital russa confirmou que utiliza desde fevereiro o sistema de reconhecimento facial desenvolvido pela companhia russa NTechLab.

Essa empresa já levantou polêmica recentemente ao apresentar um aplicativo capaz de rastrear pessoas na rede social russa VK, o FindFace, utilizado para encontrar e assediar trabalhadores sexuais e atores pornôs no país europeu. Agora, a companhia volta a ter parte no controverso maior sistema de vigilância do mundo.

Rastreamento facial em Moscou

De acordo com o Departamento de Informação e Tecnologia da cidade de Moscou, as 160 mil câmeras espalhadas pela cidade dão conta de filmar nada menos d que 95% das entradas de todos os prédios de apartamentos da cidade. E todas elas são capazes de identificar os rostos das pessoas capturadas pelas lentes, comparando a informação com o banco de dados da polícia a fim de encontrar criminosos.

Graças à tecnologia e ao grande número de câmeras, é possível até mesmo seguir a rota de um suspeito, facilitando assim investigações e prisões — o governo local garante já ter realizado seis prisões com a ajuda do sistema usado desde fevereiro.

Privacidade

De acordo com o diretor do Departamento de Informação e Tecnologia de Moscou Artem Ermolaev, os cidadãos moscovitas não têm com o que se preocupar no quesito privacidade.

“O sistema não rastreia todos os indivíduos, [mas] apenas torna possível realizar buscas sob vários cenários usando os bancos de dados federais”, declarou ao Mashable. “Se você não é um criminoso cuja foto está nos bancos de dados, o circuito de vigilância trabalha a seu favor ao tornar a cidade mais segura.”

De qualquer maneira, apesar do alerta que supostamente deveria deixar todos tranquilos não é o suficiente. Organizações de direitos humanos e direito à privacidade já demonstraram a sua preocupação de que o novo sistema seja utilizado para perseguir possíveis dissidentes e oponentes do governo russo.

“A intensidade da interferência com informações sobre a vida privada e dados pessoas está aumentando, isso pela criação tanto de meios legais quanto de meios ilegais de coleta de informações”, declarou em comunicado a Agora Internationl, organização russa de direitos humanos. “Certos grupos, como jornalistas e ativistas, estão sendo particularmente visados.”

Você ficaria tranquilo com um sistema de vigilância no melhor estilo 1984, com câmeras que não se desligam nunca e estão sempre rastreando os seus movimentos pela cidade?

Cupons de desconto TecMundo: