Apostar em um sistema aberto e fazer negócios com uma infinidade de parceiros no setor mobile, apesar de trazer boas vantagens em relação a cobertura do mercado, também tem se provado uma dor de cabeça sem fim para a Google. O exemplo mais recente disso é que duas empresas chinesas de celulares Android podem estar saindo de fábrica com malwares e faz com que seus usuários estejam com seus dados comprometidos desde o momento zero.

A informação vem da plataforma de segurança Dr. Web, que afirma ter detectado a presença de pelo menos um trojan bastante conhecido em aparelhos de fabricantes pequenas da China. Segundo o serviço, os modelos M5 Plus e M8, da Leagoo, e S10 e S20, da Nomu, trazem versões do Triada pré-instalados no sistema operacional. Com o software malicioso integrado completamente à biblioteca da plataforma, os criminosos conseguem ter acesso a qualquer aplicativo ou informação armazenados no smartphone.

O Leagoo M5 Plus é um dos modelos a apresentar o trojan

Mesmo que se trate de um episódio grave, talvez a prática não gerasse tanta comoção se os gadgets ficassem restritos apenas ao mercado chinês. No entanto, além de esses produtos poderem ser importados facilmente através do e-commerce asiático, eles ainda são disponibilizados em lojas online do Ocidente como a Amazon norte-americana – o que aumenta o risco de infecção e distribuição do malware.

O Triada pode ter sido adicionado aos equipamentos ao longo da linha de produção

Se a acusação feita pela Dr. Web for confirmada, é bem possível que tanto a Leagoo quanto a Nomu sigam o mesmo caminho da Blu, que teve alguns de seus celulares removidos do comércio eletrônico de Jeff Bezos devido a suspeitas de que eles estariam compartilhando informações dos usuários. O serviço de segurança, porém, não diz com todas as letras que as duas fabricantes chinesas são as mentes por trás da instalação do trojan, já que o Triada pode ter sido adicionado aos equipamentos ao longo da linha de produção.

Cupons de desconto TecMundo: