O porta-voz do Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos anunciou, através de sua conta oficial no Twitter, a suspensão da proibição de levar notebooks nas bagagens de mão aos passageiros de voos vindos do Oriente Médio.

A ação foi aplicada em dez aeroportos e atingiu nove companhias aéreas do território. A regra foi instituída no início do mês e afetou as viagens realizadas por empresas como Etihad, Emirates e Turkish Airlines, que partiam de cidades como Dubai, Abu Dhabi e Doha.

Porém, a proibição não restringia o transporte apenas de computadores portáteis. Equipamentos eletrônicos de maior porte, como tablets e e-readers, também estavam dentro das regras.

A norma teria sido implementada para aumentar a segurança nacional, já que havia suspeitas de que organizações terroristas estavam escondendo explosivos em dispositivos como esses e levando-os em viagens.

Há uma suposição de que as razões também tinham uma pontinha de protecionismo econômico, visto que as companhias aéreas norte-americanas não foram atingidas pela regra. A proibição poderia causar graves problemas para os negócios das empresas que sofreram as restrições, uma vez que executivos seriam impedidos de levar seus equipamentos eletrônicos nos voos.

Em março, o Reino Unido também estabeleceu uma proibição parecida com a aplicada pelos Estados Unidos, visando às companhias aéreas que operam voos partindo do Oriente Médio e da África do Norte.

Cupons de desconto TecMundo: