As forças armadas israelenses acabam de levar a inovação bélica a um novo nível, cogitando a compra de drones com múltiplos rotores que são capazes de carregar metralhadoras e outras armas por aí.

A responsável pela criação dos “combatentes voadores” é a Duke Robotics, que nasceu das mãos de um veterano de guerra cansado de ver soldados e civis morrendo nos frequentes combates que acontecem na região do Oriente Médio. Raziel “Razi” Atuar explica que é comum que grupos terroristas usem civis como escudo humano, então é muito difícil evitar qualquer tipo de baixas em caso de combate – é aí que os drones entram em ação.

Ainda assim, equipar um drone com uma arma não é tão simples assim, visto que os dispositivos podem sofrer com oscilações em decorrência do recuo dos acessórios bélicos, principalmente metralhadoras de calibres maiores.

Os TIKAD, como são chamados, são uma alternativa para criar uma aproximação mais tática ao combate e minimizar a exposição de combatentes e civis em caso de confronto.

Eles são equipados com uma estrutura que ajuda a dissipar a força gerada pelo recuo das armas, aumentado a estabilidade – a chave, agora, é trabalhar na parte da autonomia de voo, que é severamente afetada pelo peso das armas carregadas.

O exército israelense, inclusive, conseguiu abater alvos com sucesso em um treinamento, o que gerou um interesse muito grande em adquirir os dispositivos voadores em breve, mas sem qualquer previsão de entrega.

Cupons de desconto TecMundo: