Você está voltando para casa depois de um longo dia de trabalho, quer chegar e descansar um pouco. Antes de entrar você checa a sua caixa de correio e se depara com um dispositivo USB; o que você faria? Entraria em casa correndo para conectar no seu computador para dar uma olhada no que tem dentro?

Claro que muitos que estiverem lendo essa notícia vão pensar “claro que não, eu não sei nem de onde veio isso”. Mas fiquem surpresos, pois também há quem não pense duas vezes antes de conectar esses gadgets em suas máquinas. Um estudo realizado pela Universidade de Illinois (EUA) colocou 297 dispositivos USB, aleatoriamente, nas caixas de correios nas suas proximidades e — acredite se quiser – quase metade deles foram conectados a computadores e derivados.

Mas muita calma, pois essa não é a pior notícia. Aparentemente, alguns crackers australianos tomaram conhecimento desse experimento e resolveram fazer o seu próprio, mas claro que não com boas intenções. Pois é... Vários pendrives com malwares começaram a aparecer e não demorou para que alguns casos começassem a ser noticiados em Melbourne.

A vida imita a ciência

Casos foram registrados na polícia e há relatos de que os pendrives trouxeram grandes dores de cabeça para os usuários — pelo menos para aqueles que tiveram a infelicidade de conectar esses dispositivos em suas máquinas. Mas o que pode ser encontrado dentro desses gadgets?

Após a conexão, o malware entra em ação instalando todas as ferramentas necessárias para extrair dados dos afetados. Sem alertas, começa a extrair todas as informações pessoais e importantes da máquina como logins, senhas e dados bancários.  De acordo com a imprensa australiana, também há grandes chances de que surjam ransomwares baseados nesse tipo de disseminação.

Também há grandes chances de que os crackers comecem a disseminar ransomware com os dispositivos

Sendo assim, é válido pensar que se encontrarmos um dispositivo USB por aí — seja na sua caixa de correio ou na rua — não devemos nos deixar levar pela curiosidade. A melhor ideia seria deixar ali mesmo na rua onde você encontrou. E se estiver na sua caixa de correio, você pode pensar também em destruí-lo antes de jogar fora para que outra pessoa também não seja prejudicada.

********

Este texto faz parte do programa TecMundo Experts, pelo qual leitores com alguma especialidade em tecnologia podem encaminhar seus conteúdos para o TecMundo. As matérias publicadas aqui são enviadas de modo voluntário e sem vínculo empregatício.

Cupons de desconto TecMundo: