Mesmo que computadores quânticos estejam longe de se tornar comuns, a Google já vê neles uma possível ameaça à segurança de seus usuários. Dessa forma, a companhia anunciou na última quinta-feira (7) medidas para proteger o Chrome de possíveis invasões realizadas a partir de máquinas do tipo.

A empresa está trabalhando em sistemas de criptografia pós-quânticos que devem passar a funcionar em uma versão experimental do navegador. Embora já existam proteções de hardware contra o poder computacional das novas máquinas, a Gigante das Buscas está apostando no algoritmo “Nova Esperança” para lidar com suas chaves de proteção.

“Enquanto eles vão ser, sem dúvida, de grande benefício para algumas áreas do estudo, alguns dos problemas que eles vão ser eficientes em solucionar são aqueles que usamos para assegurar as comunicações digitais”, afirma o engenheiro de software Matt Braithwaite. “Especificamente, se grandes computadores quânticos puderem ser construídos, então eles podem ser usados para quebrar as primitivas assimétricas de criptografia que são usadas atualmente no TLS, o protocolo de segurança por trás do HTTPS”.

Solução temporária

computadores quânticos podem por em risco todas as comunicações criptografadas da internet

Em outras palavras, computadores quânticos podem por em risco todas as comunicações criptografadas da internet do passado e do presente. Apesar de em alguns quesitos serem menos seguro que outras soluções, a Google considera o Nova Esperança como o software mais promissor que avaliou no último ano.

O plano da empresa não é criar um padrão para que outros o adotem, mas sim adquirir experiência na criptografia pós-quântica. A companhia já anunciou que vai descontinuar o algoritmo em dois anos e tem a esperança de substituí-lo por uma opção mais segura que ela espera ter sido desenvolvida até então.

Cupons de desconto TecMundo: