(Fonte da imagem: the telegraph.com.au)

Uma das primeiras pessoas a testar o novo scanner de corpo completo ativou o alarme três vezes. Isso seria bom se não fosse por um pequeno detalhe: ela não estava usando nada impróprio. A causa do disparo da máquina? Suor.

O experimento, realizado no aeroporto de Sydney com um novo equipamento que usa ondas de rádio de baixa energia para encontrar objetos escondidos sob a roupa, é parte de um teste de seis milhões de dólares que não parece trazer bons resultados. Além de disparar por culpa da transpiração das “cobaias”, fatores como várias camadas de roupas, zíperes e até mesmo a postura dos passageiros também foram motivo para ativar o alarme.

Vários países também estão insatisfeitos com a tecnologia: na Europa, o scanner foi taxado como lento, impreciso e ineficaz, enquanto que na Alemanha foi rejeitado pela polícia devido ao fato de ser sensível demais e, segundo declarações, dar alarmes-falsos em mais de duas a cada três vezes. Os Estados Unidos também não ficaram de fora, com grupos a favor da privacidade preocupados com o equipamento mostrando o corpo das pessoas.

Apesar das críticas, o ministro do transporte Anthony Albanese diz acreditar que a máquina possui a “tecnologia de triagem de passageiros mais avançada do mundo” e se defendeu das declarações afirmando que o teste tinha como objetivo mostrar qualquer sinal de objetos suspeitos em uma pessoa.

Cupons de desconto TecMundo: