Lançada há quase um ano, a AMD Radeon R9 285 veio para substituir a R9 280 e fornecer suporte para novas tecnologias, como o recurso AMD FreeSync.

Como de costume, a Sapphire foi uma das principais parceiras no lançamento desta placa, trazendo ao mercado um modelo mais robusto e com tecnologias próprias que visam levar ainda mais desempenho ao jogador.

Nós recebemos o modelo Sapphire Dual-X R9 285 OC Version para testes. Ao longo das últimas semanas, passamos um bom tempo executando benchmarks e verificações com jogos dos mais diversos tipos. Será que esta placa ainda tem poder de fogo para aguentar os jogos mais recentes? Como será que ela se sai frente aos novos componentes da série R9 300? Vamos conferir!

Especificações

Design de primeira

As placas de vídeo da Sapphire sempre foram desenhadas visando melhor performance e refrigeração. Nesse sentido, a Sapphire Dual-X Radeon R9 285 não é diferente, pois conta com características visuais que já vimos em outros componentes da série R9 200, as quais sempre apresentaram bom funcionamento em situações de estresse.

A carcaça bem definida por retas é feita de um material plástico resistente, o qual oferece robustez e garante suporte apropriado para as ventoinhas. O visual fica muito bonito e atraente com uma mescla de partes na cor preta e outras na cor roxa.

Assim como outras placas desta categoria, a R9 285 da Sapphire é de tamanho mediano, o que significa que ela ocupa um bom espaço no gabinete, mas deve ser facilmente encaixada na maioria dos computadores.

Conforme o nome do produto, você já pode imaginar que esta placa tem duas ventoinhas. O sistema Dual-X conta com dois coolers de dimensões avantajadas, que encobrem quase todo o sistema de dissipação.

Na parte de cima do produto, podemos conferir as duas conexões de energia, que é fornecida através de conectores PCI-Express de 6 pinos. Com duas saídas DVI, uma HDMI e uma DisplayPort, esta placa de vídeo é ideal para qualquer PC, independente do monitor.

Arquitetura Tonga

A AMD trabalha com uma série de codinomes referentes às arquiteturas internas dos chips gráficos. A Radeon R9 285 é conhecida como Tonga, que já vem com algumas atualizações de funcionamento na arquitetura básica GCN.

Ainda que a AMD não use estas numerações oficialmente, o avanço para a versão 1.2 da Graphics Core Next representa muitos benefícios para o jogador, que pode aproveitar o FreeSync em toda a sua glória. Diferente da R9 280, que só suporta a sincronização para vídeos, a R9 285 leva a vantagem de conseguir controle total na hora da jogatina.

Dentro do chip gráfico, esta mudança de versão significa algumas melhorias nas operações com integrais, bem como pontos flutuantes de 16 bits. Essas alterações na forma de funcionamento devem causar impacto no desempenho geral do produto. Outro diferencial está no consumo, que foi otimizado para garantir alta performance com pouca energia.

Ótima solução de refrigeração

A Sapphire sempre fez um ótimo trabalho na parte de arrefecimento de suas placas de vídeo, e com a Dual-X Radeon R9 285 não é diferente. O sistema de refrigeração instalado garante boas temperaturas sem ocasionar muito ruído e sendo adequado até mesmo para a utilização de overclocking.

As ventoinhas são relativamente simples, sem grandes incrementos nas aletas, mas são perfeitamente adequadas para remover o calor com rapidez. Abaixo do sistema de ventilação, temos os heatpipes de cobre que facilitam a distribuição do calor pelo dissipador e ajudam as ventoinhas a refrigerar a placa de vídeo de forma inteligente.

É importante notar que esta placa não mantém os coolers girando constantemente, já que ela monitora a atividade do processador gráfico e ativa as ventoinhas na velocidade necessária conforme os jogos exigem mais poder de processamento.

Ficamos muito satisfeitos com a forma de funcionamento e o silêncio deste sistema de refrigeração. Mesmo sem usar tampa no gabinete, a placa produz pouquíssimos ruídos, inclusive em situações de estresse.

Graphics Core Next

A arquitetura Graphics Core Next (GCN) chegou na geração HD 7000 das placas da AMD. Ela promove uma nova forma de computação, gerenciando o processamento dentro da GPU. Cada GPU carrega um determinado número de unidades de computação (ROPs), que ficam responsáveis por gerenciar certa quantidade de processadores stream.

Desse modo, as GPUs AMD são capazes de controlar uma quantidade muito maior de processos simultaneamente, algo que, até então, era relegado à CPU principal do computador. Além disso, a arquitetura também é responsável por gerenciar com mais eficiência todos os recursos da placa de vídeo, permitindo que novas ferramentas de renderização possam ser empregadas sem que haja um impacto significativo no desempenho do sistema.

Outro benefício do GCN é a utilização mais inteligente dos recursos energéticos da placa, consequentemente gastando menos e gerando menos calor. Esta placa é compatível com as APIs DirectX 12, Mantle e Vulkan.

AMD FreeSync

Há algum tempo, a AMD apresentou o FreeSync, um sistema de sincronização vertical que permite que a placa de vídeo controle a taxa de atualização do monitor, conseguindo, com isso, aumentar a fluidez das imagens. O recurso é muito requisitado pelos gamers mais exigentes e já funciona com os monitores mais recentes.

Ao contrário do G-Sync, da NVIDIA, o sistema da AMD não exige um hardware proprietário incluído no monitor para funcionar, pois o FreeSync aproveita as especificações do padrão DisplayPort para fazer isso. Contudo, você precisa ter um monitor capaz de oferecer essa tecnologia para poder ativá-la em sua placa de vídeo.

Considerando o potencial da Sapphire Dual-X Radeon R9 285 OC Version, ela é certamente uma das melhores placas para quem pretende usar este recurso, já que consegue manter bom desempenho (ou seja, boa taxa de frames) em Full HD nos principais games da atualidade com qualidade gráfica excelente.

AMD VSR – Virtual Super Resolution

A super-resolução virtual não é uma exclusividade ou novidade da Sapphire Dual-X Radeon R9 285, mas esta configuração pode ser aproveitada nesta placa. O VSR aumenta a qualidade visual ao trabalhar com resoluções elevadas para exibir gráficos ainda melhores em monitores de capacidade limitada.

Para entender como ele funciona, pense em um monitor Full HD. Agora, imagine uma imagem em resolução inferior à do monitor. Para preencher toda a tela, a imagem precisará ser esticada, deixando as imperfeições mais aparentes.

O downsampling funciona de forma parecida, só que ao contrário. Em vez de esticar uma imagem pequena para preencher a tela, ele espreme uma imagem grande para que ela possa ser exibida em um monitor com resolução menor que a da imagem gerada, eliminando quase completamente as imperfeições.

Isso é útil para quem pretende rodar jogos com qualidade 4K em monitores Full HD ou aproveitar a resolução QuadHD (2560x1440) em displays 720p. A compatibilidade é garantida pelo Catalyst Control Center, que configura os jogos e todos os detalhes para que você não precise se preocupar com nada.

A Sapphire Dual-X R9 285 funciona bem nesse tipo de situação, já que ela consegue rodar jogos em Full HD e até QWHD, sendo perfeitamente aproveitada por jogadores que ainda utilizam monitores com resoluções inferiores.

Testes de desempenho

Para conferir o desempenho da placa de vídeo em situações práticas, nós realizamos uma série de testes que você possivelmente faria em seu computador. As configurações de vídeo foram definidas para o nível mais elevado, incluindo filtros, mas o V-Sync foi mantido desativado. Os testes são divididos em duas etapas: jogos e benchmarks sintéticos.

Máquina de testes

  • CPU: Intel Core i7-3930K @ 3.200 MHz
  • Placa-mãe: EVGA X79 SLI
  • Memória: 16 GB RAM quad-channel G. Skill Sniper DDR3 2133
  • SSD: Samsung 840 Pro 256 GB
  • HD: 3 TB Seagate ST3000M001
  • Fonte: Corsair AX1500i

Jogos

F1 2015

Com o amadurecimento da série F1, a Codemasters conseguiu polir os gráficos do mais novo título, garantindo bom aproveitamento dos recursos de hardware e entregando visuais estonteantes com o DirectX 11.

Hitman: Absolution

Apesar de ser um jogo de 2013, Hitman: Absolution serve perfeitamente para verificações com tecnologias mais recentes, já que sua engine abusa do poder de processamento e trabalha com o DirectX 11. Os resultados são frutos do benchmark próprio do game e são absulotamente apropriados para um comparativo.

Metro Last Light Redux

Metro: Last Light aproveita o poder das GPUs modernas para trazer gráficos excelentes, texturas em alta definição e muita destruição com efeitos especiais incríveis. O game é construído com a engine 4A e também é uma excelente prova de fogo para placas mais robustas.

Middle Earth: Shadow of Mordor

Um dos jogos de maior sucesso dos últmos tempos é também um ótimo título para teste de poder gráfico. Este jogo baseado na série Senhor dos Anéis conta com uma grande quantidade de elementos em cenário e pode representar um bom desafio em alguns momentos para os processadores gráficos.

Benchmarks

3DMark

O 3D Mark é um dos mais famosos programas de benchmark. Ele se destaca principalmente por trazer uma grande variedade de cenários para testes dos diferentes recursos de hardware e software da placa de vídeo. Este benchmark conta com uma série de testes diferenciados, mas, considerando o perfil da Sapphire Radeon R9 385, resolvemos rodar o FireStrike Extreme.

Unigine Valley

O Valley Benchmark mostra uma região cheia de montanhas com uma enorme quantidade de árvores em um terreno de 64 milhões de metros quadrados — verificando principalmente a capacidade da memória gráfica da placa de vídeo. Este software ainda trabalha com muitos efeitos de luz, colocando o poder da placa de vídeo à prova.

Temperatura

O trabalho de refrigeração da Sapphire Dual-X Radeon R9 285 OC Version é excelente, mantendo temperaturas aceitáveis de funcionamento mesmo em Full Load (quando o chip gráfico estava sob máximo estresse).

A placa esquenta um pouco mais do que modelos similares, mas em nenhum momento apresentou problemas, de modo que funciona de acordo com o esperado. Vale mencionar que o sistema é muito silencioso, portanto é um excelente projeto de arrefecimento.

Consumo

Durante os testes, nós realizamos algumas medições no consumo de energia com a ajuda de um dispositivo chamado Kill a Watt, que informa o consumo total da máquina, ou seja, quanto ela está “puxando” da tomada. As medições são realizadas em três momentos distintos:

Ocioso: máquina ligada, mas sem nenhum aplicativo em atividade;
Filme: filme em qualidade Full HD rodando em tela cheia;
Jogo: teste feito com o 3DMark que simula o uso normal da máquina em jogos.

Vale a pena?

A Sapphire Dual-X Radeon R9 285 se saiu muito bem em nossos testes. Ela mostrou estar preparada para competir com a GeForce GTX 960, que é sua principal concorrente. Em quase todos os testes, este produto equipado com chip gráfico AMD exibiu pontuações muito próximas das da concorrente, geralmente ficando um pouco à frente.

Apesar do processamento robusto, esta placa deixa a desejar quando o assunto é memória RAM, já que ela traz apenas 2 GB, quantidade que se mostra insuficiente para trabalhar em altas resoluções ou mesmo para executar jogos mais recentes, como Batman: Arkham Knight.

É importante frisar que a fabricante bolou um projeto muito bom, conseguindo alinhar alto desempenho com overclocking no processador gráfico sem deixar o componente esquentar muito. O sistema de refrigeração funciona de forma silenciosa e inteligente.

O único ponto que pode incomodar um pouco é a questão do consumo, já que ela ultrapassa todas as concorrentes e mesmo outros produtos semelhantes da AMD. Não é algo muito absurdo, mas é preciso levar isso em conta na hora da compra.

Classificada como uma concorrente da GeForce GTX 960, esta placa ganha boas recomendações na questão do desempenho, mas não é a melhor opção quando colocamos a questão do preço na balança. Em nossas pesquisas, encontramos este modelo por valores próximos aos 1,2 mil reais.

Placas equipadas com o chip GTX 960 e a mesma quantidade de memória RAM podem ser encontradas na faixa dos 900 reais, o que é uma diferença expressiva. Mesmo optando por um produto NVIDIA com 4 GB de memória, ainda é possível economizar cerca de 100 reais.

Levando isso em conta, fica complicado recomendar a compra do produto, mas podemos dizer que vale a pena comprar a Sapphire Dual-X R9 285 em promoções — quando o preço estiver na mesma faixa dos concorrentes.

Você acha que vale a pena comprar a Radeon R9 285? Comente no Fórum do TecMundo

Cupons de desconto TecMundo: