A Samsung deixou de mistério e anunciou sua nova geração do processador para dispositivos móveis. Trata-se do Exynos 8 Octa 8890, que deve ser uma das opções possíveis do smartphone Galaxy S7, entre outros lançamentos da marca para 2016.

Essa é a segunda unidade da Samsung construída sob a arquitetura FinFET de 14 nanômetros (nm), mas as semelhanças com o Exynos 7 Octa param por aí. O novo modelo é o primeiro da companhia a ter uma CPU personalizada e própria baseada na tecnologia ARMv8 de 64 bits, além de contar com um dos modelos de modem mais recentes do mercado integrados, o LTE Rel.12 Cat.12/13.

Voando com as própias asas

A personalização de quatro dos núcleos do Exynos 8 Octa (sim, o nome tem o númeral seguido da palavra mesmo) faz com que a empresa não dependa de cores pré-fabricados por outras companhias, deixando a CPU do jeito mais otimizado possível para rodar com o resto dos componentes.

Assim, o desempenho subiu 30% em relação ao do modelo anterior, com 10% de melhoria em consumo de bateria. Os outros quatro núcleos são ARM Cortex-A53.

Para garantir uma experiência de interface satisfatória, gráficos de jogos em 3D imersivos e grandes momentos de realidade virtual, a GPU escolhida é a moderna Mali-T880.

Modem integrado

A integração também é uma novidade, fazendo com que tanto a aplicação de processamento quanto a de modem sejam combinadas em um único chip — algo já testado pela marca em dispositivos intermediários e agora a ser aplicado no top de linha.

Isso garante, por exemplo, mais espaço livre interno para personalização do design ou aproveitamento com outros componentes. Em termos de desempenho, a velocidade de download máxima é fixada em 600 Mbps (1,3 vez mais que a da geração anterior), com a de upload para até 150 Mbps. Além disso, a Samsung promete o aproveitamento e o compartilhamento de vídeos em alta resolução, por exemplo.

O que você achou do chip Exynos 8 Octa 8890 da Samsung? Comente no Fórum do TecMundo

Cupons de desconto TecMundo: