Jay Y. Lee, vice-presidente da Samsung Electronics, foi ao tribunal pela primeira vez sob acusação de corrupção, suborno, desvio e outros crimes. De acordo com a Reuters, o executivo se manteve em silêncio durante o julgamento e deixou apenas os próprios advogados entregarem declarações.

Lee pagou mais de US$ 37 milhões para a Choi Soon-sil

O vice-presidente da Samsung foi preso sob a acusação de ter subornado empresas ligadas à presidente Park Geun-hye, que sofreu impeachment por estar envolvida em vários casos de corrupção ativa e tráfico de influência. De acordo com as autoridades, Lee pagou mais de US$ 37 milhões para a Choi Soon-sil, uma das empresas "de confiança" da chefe de Estado. Por isso, a Samsung supostamente havia recebido tratamento preferencial há alguns anos no mercado local.

Segundo os advogados de Lee, o acusado não possuía conhecimento sobre algumas atribuições financeiras citadas no caso, "porque não fazia parte de seu trabalho". A equipe jurídica também alegou que "qualquer pagamento feito por Lee foi realizado apenas em pedido da presidente Park e que ele não buscou qualquer favor em retorno".

"Nós garantimos evidências suficientes provando que Lee Jae-yong (vice-presidente da Samsung) realizou pedidos impróprios para a presidente", afirmou o promotor especial designado para o caso, Park Young-so.

Cupons de desconto TecMundo: