Uma das empresas que mais investiram no mercado de smartwatches até hoje, a Samsung tenta provar novamente o valor de aparelhos do tipo com o Gear S3. Oferecendo diversos sensores e um GPS embutido, o dispositivo tem recursos esportivos interessantes e vários que não exigem o pareamento com um smartphone para funcionar.

No entanto, a fabricante não consegue acertar em todos os elementos do gadget. Algumas limitações de software, aliadas a opções de design divisivas e certas restrições em seus apps, fazem com que ele não seja capaz de agradar todo tipo de consumidor.

Neste artigo, destacamos algumas das principais qualidades — e problemas — do acessório para ajudar em uma possível decisão de compra. Aproveite nossa seção de comentários para discutir sobre o aparelho e também confira nossa análise para ter uma opinião mais completa sobre o produto.

Prós

Design atraente

O Gear S3 segue a tendência de aproximar gadgets repletos de tecnologia ao visual de um relógio convencional. O modelo Classic é muito bem-sucedido nesse sentido, apresentando um painel circular com bons ângulos de visualização e apostando em materiais resistentes e luxuosos em sua fabricação.

Com isso, a Samsung deve agradar quem procura por um acessório realmente inteligente e que não faz sacrifícios visuais para conseguir oferecer isso. Com características bastante masculinas, o dispositivo pode ser confundido facilmente com qualquer relógio tradicional de qualidade disponível no mercado — o que é bastante positivo.

Resistente à água e à poeira

Você pode correr, caminhar, andar de bicicleta ou praticar outros exercícios sem se preocupar

Pouco serviriam as soluções de software voltadas a práticas esportivas oferecidas pelo Gear S3 se a Samsung não investisse em características como a resistência à água e à poeira. Isso garante que você pode correr, caminhar, andar de bicicleta ou praticar outros exercícios sem se preocupar que seu aparelho seja estragado pela chuva ou pela poeira presente em um ambiente.

Embora ninguém tenda a sair batendo um smartwatch por vontade própria, a fabricante também teve a atenção de tornar o acessório resistente à maioria dos choques. Isso garante que não é qualquer impacto acidental que vai inutilizar um produto pelo qual é preciso pagar um valor generoso.

Bateria com boa duração

Uma inconveniência que smartwatches apresentam quando comparados a relógios convencionais é a necessidade de recarregar constantemente sua bateria. Embora o Gear S3 Classic não elimine totalmente esse problema, o fato de ele só exigir uma carga a cada 5 dias minimiza bastante essa questão.

Nesse sentido, chama a atenção positivamente a base de recarga magnética que pode ser conectada facilmente a qualquer tomada ou entrada USB. Além de preencher a carga do aparelho rapidamente, o formato apresentado pelo acessório permite continuar usando o gadget sem grandes limitações.

Boa experiência de uso

Ao apostar novamente em uma coroa central como método de interação, a Samsung proporciona uma ótima experiência de uso. Você ainda pode empregar toques para interagir com os elementos, mas o fato de isso não ser algo obrigatório torna muito mais fácil manter o display do gadget livre de marcas de dedo e manchas.

A solução usada pela fabricante também proporciona algumas experiências que não são encontradas em aparelhos concorrentes, incluindo jogos que se aproveitam do conceito. Para completar, ajustes na sensibilidade da tela possibilitam usar o acessório mesmo quando você está com luvas.

Independência grande de smartphones

Com o Gear S3, a fabricante sul-coreana reforça sua intenção de criar aparelhos que dependem cada vez menos de outros para funcionar corretamente. O gadget permite acessar aplicativos como o S Health, aproveitar jogos e conferir notícias, entre outros recursos, mesmo quando ele está distante de um smartphone.

Com o Gear S3, a fabricante sul-coreana reforça sua intenção de criar aparelhos que dependem cada vez menos de outros para funcionar

A versão nacional infelizmente não tem a conectividade 4G vista em alguns modelos internacionais, mas ainda é possível conectá-la diretamente a redes WiFi. Isso faz com que o gadget ganhe em versatilidade, evitando que você tenha que retirar o celular do bolso o tempo todo — situação que, no passado, fez com que muita gente não visse o propósito de adquirir um smartwatch.

Contras

Tamanho que não é para todos

O visual do Gear S3 Classic é muito bonito, mas suas dimensões generosas devem desagradar uma parcela considerável de consumidores. Entre eles estão pessoas que têm pulsos pequenos demais para que o dispositivo fique confortável, mesmo quando a menor pulseira fornecida pela fabricante é utilizada.

Além disso, o visual chamativo pode não agradar quem procura um relógio mais discreto. Para completar, ele tem um peso considerável para um produto de sua categoria, característica que se soma à lista de fatores que podem torná-lo desagradável a algumas pessoas.

Aplicativos com pouca variedade

Ao menos no quesito variedade, a plataforma ainda fica devendo um pouco aos consumidores

A Samsung não mente quando afirma que o sistema Tizen presente em seu smartwatch conta com uma grande quantidade de aplicativos. O que a empresa não deixa claro é que, ao menos no quesito variedade, a plataforma ainda fica devendo um pouco aos consumidores.

Ao entrar na loja de aplicativos, é fácil se espantar com a grande quantidade de softwares que se limitam a oferecer uma interface de uso diferente ao Gear S3. Já na parte de jogos e utilidades, a seleção ainda é um tanto limitada, sendo que as melhores opções acabam sendo aquelas desenvolvidas pela própria fabricante.

Ligações com baixa qualidade

O relógio inteligente tem entre seus principais recursos a capacidade de atender e realizar ligações telefônicas. No entanto, a maneira como esse processo se desenrola vai fazer com que você raramente queira aproveitar essa função, que depende de uma conexão com um smartphone para funcionar.

Além de ser um pouco estranho conversar com o pulso, não há qualquer privacidade nesse momento, graças ao uso obrigatório do modo viva-voz. Para completar, a qualidade de áudio é baixa e dá a impressão de que estamos usando um walkie-talkie antigo, e não um smartwatch top de linha.

Ainda não é totalmente independente

Ainda que o Gear S3 seja muito menos dependente de um smartphone do que seus antecessores, ele não é capaz de trabalhar de forma inteiramente livre. Embora seja compreensível que ele não permita ler longas notícias de forma individual, algumas restrições nesse sentido ainda parecem estranhas.

O fato é que você depende de um celular para instalar aplicativos no smartwatch, bem como para obter relatórios de exercícios completos pelo S Health. Além disso, apps como o Spotify parecem ser somente “atalhos” para as versões mais completas disponíveis para celulares, o que diminui um pouco o propósito de usar o acessório.

Preço nada generoso

Não é possível ignorar o fato de que o Gear S3 Classic não é exatamente um produto acessível. Mesmo com descontos em relação a seu preço oficial, ainda é preciso pagar pelo menos R$ 2 mil para obtê-lo oficialmente no Brasil, valor que supera facilmente muitos smartphones top de linha.

Por esse preço, você leva para casa um dos smartwatches mais completos do mercado atual. No entanto, o fato de ele já exigir um celular relativamente recente para funcionar sem problemas faz com que o investimento inicial exigido seja incompatível com a realidade da maioria do público brasileiro.

Cupons de desconto TecMundo: