O Samsung Gear S é o mais novo produto da sul-coreana para o mercado de smartwatches. Esse dispositivo tem como proposta trabalhar de forma independente e realizar algumas funções sem a ajuda de um smartphone. Porém, ele ainda necessita de um celular da Samsung para funcionar corretamente.

Com um design bastante chamativo, o Gear S é grande e não se parece muito com um relógio tradicional. Será que já está na hora de você investir em um smartwatch? É isso o que você confere agora em mais um análise do TecMundo.

O smartwatch Samsung Gear S foi cedido por empréstimo pela loja Cissa Magazine para a realização desta análise.

Especificações técnicas do Samsung Gear S R750.

Especificações técnicas do Samsung Gear S R750

  • Sistema operacional: Tizen
  • Tela: Super AMOLED de 2 polegadas
  • Resolução: 480x360 pixels
  • Densidade de pixels: 300 ppi
  • Chipset: Qualcomm Snapdragon 400
  • CPU: dual-core de 1 GHz
  • Memória RAM: 512 MB
  • Armazenamento interno: 4 GB
  • Bateria: 300 mAh
  • Conectividade: WiFi (802.11 b/g/n), GPS (A-GPS/Glonass), Bluetooth 4.1, USB 2.0
  • Sensores: acelerômetro, giroscópio, compasso, batimentos cardíacos, raios ultravioletas e barômetro
  • Dimensões: 39,9 mm x 58,1 mm
  • Espessura: 12,5 mm
  • Peso: 84 ou 67 gramas (depende do modelo de pulseira)
  • Extra: certificação IP67 (proteção contra água e poeira)
  • Preço no lançamento: R$ 1.499
  • Preço médio: R$ 1.199

Conexão e compatibilidade

Seguindo a mesma tendência de seu antecessor, o Gear S é compatível com apenas alguns aparelhos da sul-coreana. A lista não é gigantesca – especialmente se considerarmos a quantidade de smartphones que a Samsung já lançou no mercado –, mas contempla modelos recentes e alguns um pouco mais antigos.

  • Galaxy Note 2
  • Galaxy S4
  • Galaxy S3
  • Galaxy S4 Active
  • Galaxy S4 Mini
  • Galaxy Mega 6.3
  • Galaxy S4 Zoom
  • Galaxy Note 3
  • Galaxy S5
  • Galaxy Note 3 Neo
  • Galaxy S5 mini
  • Galaxy S3 Neo
  • Galaxy Grand 2
  • Galaxy K Zoom
  • Galaxy Alpha
  • Galaxy Note 4

Parear o smartwatch não é difícil: é preciso instalar em seu smartphone o Samsung Gear. No celular, é possível fazer o download através deste link ou por meio da loja GALAXY Apps. O aplicativo é simples e permite o gerenciamento completo do seu relógio inteligente através da conexão Bluetooth.

Tela

A tela do Gear S é o aspecto que mais se destaca nesse aparelho. Diferente dos concorrentes, o display desse smartwatch é curvo e acompanha o formato natural do pulso. Mas se por um lado essa parece ser uma boa ideia, por outro causa um inconveniente que pode desagradar algumas pessoas.

Esse smartwatch não se parece muito com um relógio convencional. Portanto, quem bate o olho percebe que essa telinha pertence a um aparelho diferente. No geral, o display apresenta uma excelente qualidade, oferecendo uma boa resposta aos toques e visibilidade mesmo em condições desfavoráveis.

O controle de brilho é satisfatório e a opção de ajuste automático é uma mão na roda para economizar a bateria. A proteção Gorilla Glass 3 deve evitar que riscos se proliferem na tela do Gear S.

Design

Como não poderia deixar de ser, o design do Gear S lembra um pouco um smartphone da Samsung. O principal responsável por isso é o botão único na parte frontal do dispositivo. As bordas do display são protegidas por uma fina camada de plástico que imita um metal.

Ainda na parte da frente, há um sensor de luminosidade e outro para medir a intensidade de raios ultravioleta – uma novidade no Gear S. Atrás, encontramos o monitor de frequência cardíaca, os contatos do carregador e a entrada para o nano SIM.

A pulseira do Gear S é intercambiável e confeccionada com um material emborrachado que é bastante confortável. Há outras opções de cores e uma variante com a pulseira um pouco mais larga. O ajuste, o mesmo do antecessor, foi inspirado nos relógios tradicionais, solução prática e acertada por parte da Samsung.

Porém, os elogios ao design desse smartwatch terminam por aqui. O Gear S é robusto e não fica muito bonito em pulsos finos. Nessas situações, o aparelho mais parece um “morfador”.

Interface

Diferente dos concorrentes que ainda apostam no Android Wear, a Samsung revolveu manter o seu próprio sistema operacional no Gear S. Visualmente falando, o Tizen lembra bastante o robozinho verde da Google, mas seu funcionamento é bem diferente.

Deslizando a tela para a direita, as notificações são exibidas e podemos mandar cada uma delas embora ou fazer o mesmo com todas de uma só vez. Com um movimento para a esquerda, surgem os widgets e suas diversas funções. Deslizando a tela para cima, são mostrados os apps instalados no Gear S. O movimento para baixo representa o comando “voltar” e pode exibir um pequeno painel de controle. No geral, a interface é fluida e responde muito bem a todos os comandos.

Diferenciais

O grande diferencial do Gear S é o suporte ao chip de operadora. Essa possibilidade permite que o smartwatch ganhe algumas funcionalidades que independem do smartphone.

Dá para fazer ligações, mandar mensagens e acessar o 3G diretamente a partir do relógio, mesmo quando desconectado do celular. O acesso à rede WiFi, a proteção contra água e poeira e o sensor de raios ultravioleta são os outros diferenciais.

Desempenho

Ainda sem muitos parâmetros, é difícil avaliar com precisão o desempenho desse smartwatch. O Gear S executou todas as suas funcionalidades sem nenhum problema, não apresentando engasgos ou travamentos.

Jogos e apps de produtividade, como calculadora, bloco de notas e agenda, também executaram numa boa. Todas as funções herdadas do antecessor, como pedômetros, monitoramento de frequência cardíaca, acompanhamento de sono e exercícios físicos, também funcionaram de maneira satisfatória.

Mesmo instalado inúmeros apps e games, é muito difícil ocupar os 4 GB de armazenamento interno. Porém, armazenar muitas músicas e fotos pode acabar rapidinho com o espaço livre. Não sentimos falta de uma câmera no Gear S, adicional que era dispensável no antecessor.

Bateria

Considerando os principais concorrentes do mercado – como o Motorola Moto 360 e o LG G Watch R –, podemos dizer que o Gear S apresentou uma autonomia de bateria muito boa.

Usando o aparelho de forma intensa, recebendo notificações constantemente, respondendo e enviando mensagens e fazendo ligações, o smartwatch foi capaz de aguentar quase dois dias inteiros longe das tomadas. O carregamento é rápido e o conjunto ainda acompanha uma base capaz de armazenar um pouco de carga.

Vale a pena?

O Gear S definitivamente é o próximo passo dos smartwatches. A iniciativa da Samsung de tornar o relógio mais independente é bacana, apesar de ainda incompleta. O display é bonito e favorece o uso, mas a robustez pode desencantar alguns consumidores.

Mesmo que suas funcionalidades sejam interessantes, um smartwatch ainda é dispensável para a maioria das pessoas. Com um preço médio de R$ 1.199, fica um pouco difícil justificar a compra desse tipo de aparelho. Mas se dinheiro não é um problema para você, pode apostar no Gear S sem medo. Isso, é claro, se você tiver um smartphone da Samsung. Do contrário, é melhor procurar outra opção do mercado.

O smartwatch Samsung Gear S pode ser adquirido na Loja Cissa Magazine.

Cupons de desconto TecMundo: