Os dispositivos preparados especialmente para a criação de conteúdos de realidade virtual já estão no mercado brasileiro. Um dos grandes exemplos disso é a Samsung, que trouxe sua câmera Gear 360 — produzida para capturar em 360 graus — nas lojas do nosso país.

Este equipamento conta com dois módulos de captura, sendo que é a fusão das imagens das duas lentes que faz o resultado final — e isso só vai acontecer na fase de pós-processamento.

Aqui no Brasil, a câmera Gear 360 está sendo vendida pelo preço sugerido de R$ 2.599 em diversas lojas virtuais (preço de lançamento, averiguado em 17 de agosto de 2016). Será que este valor é condizente com o que ela oferece? É o que vamos conferir agora mesmo.

Design

Não há como dizer que a Samsung errou no design da Gear 360. A câmera é realmente muito bonita e tem alguns traços que podem até mesmo parecer futuristas — com curvas definidas, um excelente encaixe e todas as partes muito bem definidas. Só que é preciso dizer que essa estética não é tão funcional quanto poderia ser.

Os botões da câmera são de fácil acesso e excelente resposta. Com isso, os controles da câmera se tornam muito intuitivos e garantem que qualquer pessoa faça suas imagens com rapidez e simplicidade.

Mas não há como não notar que ela é bem grande e pesada. Também é preciso dizer que ela se mostra muito frágil para os usuários, e o que mais contribui para essa impressão é a construção do produto. Com as lentes muito protuberantes, é impossível utilizar a câmera em movimento sem ter a impressão de que qualquer toque em superfícies fará com que ela se quebre.

Um destaque positivo é o pequeno tripé que vem no kit da Gear 360, permitindo a fácil instalação dela para as filmagens a partir de plataformas estáticas. Importante mencionar que o encaixe deste tripé usa o mesmo padrão de outras câmeras, facilitando a substituição por tripés maiores ou outras bases de fixação.

Qualidade de imagens

O principal ponto de uma câmera é a qualidade de imagem, não é mesmo? Pois nesse ponto, temos bons elogios para fazer sobre o modelo da Samsung. A Gear 360 traz dois módulos de captura com 15 megapixels e a abertura das lentes é f/2.0, o que permite imagens grandes e com bastante captação de luz. E como isso reflete no resultado final dos materiais?

Aqui você vê o arquivo cru gerado pela câmera. Abaixo, você confere o material processado

Primeiro vamos falar sobre as fotografias. Com alta luminosidade, os resultados obtidos nas fotos capturadas são excepcionais. Em nossos testes, todos os materiais ficaram com altíssima qualidade. Isso significa que os arquivos salvos com esse tipo de tecnologia certamente podem agregar muito valor aos compartilhamentos de qualquer pessoa.

Quando analisamos capturas feitas em ambientes com menos luz, os problemas são os mesmos vistos em câmeras de smartphones. Isso significa que as imagens surgem com cores mais chapadas e com desfoques em elementos escuros — boa parte disso causada pela suavização dos processadores de imagens.

Gravação de vídeos

Nas gravações de vídeos, é preciso destacar que mesmo nas resoluções mais altas há pouca nitidez nos elementos capturados, principalmente aqueles que estão mais afastados das lentes. Por causa das enormes áreas de captura, as imagens não ficam tão definidas quanto os consumidores gostariam — mesmo com capturas e exportação em resoluções altíssimas (4K).

Vale dizer que a câmera parece ter sido criada para gravações em locais estáticos. Sem estabilização, os resultados em movimento ficam abaixo do esperado. É bem importante também relembrar sobre a aparência frágil da Gear 360: quem está acostumado com câmeras de ação não deve conseguir encontrar um bom substituto no modelo da Samsung.

Também é válido mencionar que os pontos de fusão das imagens são bem evidentes — deixando claro onde se unem as imagens capturadas com cada lente. Há momentos em que elas podem até mesmo se sobrepor. Em relação à luz, os resultados em ambientes claros e escuros diferem da mesma forma que observamos nas fotografias.

Tanto em fotos quanto em vídeos, a Gear 360 consegue criar conteúdos com uma atmosfera muito legal

Ainda assim, a Gear 360 da Samsung apresenta uma das melhores qualidades de definição do mercado de câmeras 360 ou VR.  Ou seja: trata-se de uma limitação da tecnologia atual. É preciso que os sensores e lentes criados para esses equipamentos sejam evoluídos para que vejamos resultados mais avançados.

É necessário ressaltar que tanto em fotos quanto em vídeos, a Gear 360 consegue criar conteúdos com uma atmosfera muito legal.  Quando analisamos os resultados nos óculos Gear VR, isso fica ainda mais evidente.

Captação de som

Quanto à captação de som, os resultados ficam no meio do caminho entre o áudio opaco das câmeras de ação e a boa profundidade de microfones dedicados, lembrando que não há entrada para microfones externos. Ou seja, não há como melhorar a qualidade da captação sem que seja no processo de edição.

Exportação e processamento

Um dos pontos mais críticos está na compatibilidade da câmera e dos resultados dela. Infelizmente, o aplicativo oficial funciona apenas em alguns smartphones top de linha da Samsung, como Galaxy S6, Galaxy Note 5 e superiores. Por isso, não há como fazer o controle da Gear 360 com total estabilidade a partir de smartphones de outras fabricantes.

O compartilhamento via PC também pode ser um pouco doloroso. Quando abrimos apenas o arquivo cru, os vídeos ou fotos são exibidos com duas esferas separadas e é preciso usar o software oficial para fazer a fusão. Esse processo é possível apenas no Windows e o aplicativo oficial exibe poucas informações e guias.

Dificuldade no processamento e na exportação podem afetar a experiência de uso da câmera

Felizmente, assim que o arquivo está produzido depois do processamento, você pode fazer o upload diretamente para o Facebook. A rede social identifica os arquivos 360 graus automaticamente e faz uma adaptação para permitir que tudo seja exibido da maneira correta.

Vale a pena?

Como dissemos no começo da análise, aqui no Brasil a Gear 360 está sendo vendida pelo preço de R$ 2.599. O valor é certamente condizente com a tecnologia das câmeras de 360 e de equipamentos de produção de conteúdos para realidade virtual. No entanto, as funcionalidades ainda estão abaixo do que muitos esperam.

Por enquanto, as possibilidades de compartilhamento dos conteúdos ainda são limitadas para os usuários — sendo quase restritas ao Facebook.  Ou seja: trata-se de algo bem caro para a quantidade de entretenimento permitido pelo aparelho.

Em resumo, trata-se de um excelente aparelho, mas que ainda não possui uma base de consumo suficiente para alcançar o sucesso esperado pela fabricante. Por outro lado, profissionais de mídias sociais e criadores de conteúdos podem encontrar na Gear 360 um excelente aliado no mercado — principalmente aqueles que procuram novas formas de criar materiais de interação para seus públicos.