A Samsung ainda não colocou um ponto-final na história do Galaxy Note 7. De acordo com informações da loja sul-coreana Hankyung, a fabricante pode colocar o aparelho de volta no mercado em alguns países — e sem o risco de explodir.

Esses dispositivos teriam uma bateria menor e de capacidade reduzida (entre 3.000 e 3.200 mAh, contra os 3.500 mAh do original) para evitar os incidentes de combustão, além de contar com uma carcaça um pouco diferente do modelo original. Porém, quase todos os componentes internos seriam reaproveitados.

Alguns mercados emergentes, como Índia e Vietnã, seriam os escolhidos para receber esse "novo velho" modelo. As vendas estariam prontas para começar já em junho de 2017. Apesar de a Samsung não confirmar a informação, o rumor de que o Galaxy Note 7 voltaria às prateleiras reformulado já circula há mais de um mês.

Dá para confiar?

Sem saber se a Samsung de fato corrigiu os problemas de explosões com a reforma, é difícil saber se dá ou não para confiar nesse novo Galaxy Note 7. Mas uma coisa é certa: normalmente, é possível confiar em aparelhos "refurbished" — palavra em inglês que indica eletrônicos com defeito que voltam para a fábrica, são reformados e revendidos a um preço menor que o original. Em tradução livre, você pode chamar isso de "remanufaturados" ou até "reformados". Clique aqui para saber mais sobre essa categoria.

Cupons de desconto TecMundo: