A Samsung ainda está investigando as explosões do Galaxy Note 7, mas parece que a empresa não está interessada apenas nas baterias do smartphone, segundo o SamMobile. A coreana estaria considerando cada aspecto do aparelho, incluindo também design, materiais, software e hardware como um todo.

O resultado da investigação acerca desses componentes deve ser divulgado antes do fim do ano

Fora isso, segundo Kim Hong-gyeong, executivo da Samsung SDI, a divisão que fabrica baterias e que produziu 60% das células que equiparam os Note 7, o resultado da investigação acerca desses componentes deve ser divulgado antes do fim do ano. Não há, entretanto, um prazo mais específico. Vale destacar que o restante da Samsung também procura outros problemas além de baterias de forma aparentemente separada.

Por conta das ocorrências com esses componentes, a divisão responsável por eles anunciou um plano para recomprar suas ações de investidores que não estiverem mais interessados em mantê-las. O montante que a empresa definiu para esse plano é de US$ 263 milhões, de acordo com a Reuters.

Recolhidos

A empresa conseguiu recuperar 90 dos 119 aparelhos que pegaram fogo

Em uma reunião com acionistas da Samsung Mobile, o CEO da divisão, J.K. Shin, afirmou que a companhia já distribuiu 1,47 milhões de dispositivos substitutos para clientes na Coreia do Sul depois do recall definitivo. Desde então, a empresa conseguiu recuperar 90 dos 119 aparelhos que pegaram fogo, e 55 deles já foram confirmados como relevantes para a investigação.

Fora isso, o governo sul-coreano também está fazendo sua investigação independente com cinco Note 7 que explodiram no país, fazendo análises com raio-x e tomografia. Nos EUA, o governo local, junto com a fabricante, está fazendo outra investigação conjunta. Por enquanto, nenhuma dessas iniciativas trouxe resultados conclusivos.

Cupons de desconto TecMundo: