O Galaxy J5 Metal marca uma das primeiras tentativas da Samsung em trazer características Premium para seus smartphones com hardwares mais modestos. O principal diferencial do smartphone em relação à sua geração anterior é a presença de uma borda lateral com acabamento metálico, o que garante a ele uma aparência mais atrativa e maior resistência a impactos.

Em compensação, a fabricante aposta em mudanças sutis do ponto de vista técnico que, se resultam em uma experiência de uso competente, não são suficientes para justificar uma atualização caso você tenha o aparelho antecessor. Entre os quesitos que se destacam está a bateria, cuja capacidade de 3.100 mAh possibilita até dois dias de uso moderado.

Vendido oficialmente no Brasil a R$ 1.299, o produto já pode ser encontrado em algumas lojas por R$ 999 (à vista). O preço é condizente com a qualidade oferecida, mas será que isso é suficiente para que o aparelho consiga competir com outras opções do segmento de mercado em que ele se encaixa? A resposta você confere em nossa análise.

O smartphone Samsung J5 Metal foi cedido pela loja Cissa Magazine para a realização desta análise.

Especificações técnicas

  • Sistema operacional: Android 6.0.1 (Marshmallow)
  • Tela: Super AMOLED de 5,2 polegadas
  • Resolução da tela: 1280x720 pixels (HD)
  • Densidade de pixels: 282 ppi
  • Chipset: Snapdragon 410
  • CPU: quad-core Cortex-A53 de 1,2 GHz
  • GPU: Adreno 306
  • Memória RAM: 2 GB
  • Armazenamento interno: 16 GB
  • Armazenamento externo: cartão micro SD de até 128 GB
  • Câmera traseira: 13 MP, f/1.9, foco automático e flash em LED
  • Câmera frontal: 5 MP, f/1.9 e flash em LED
  • Bateria: 3.100 mAh
  • Conectividade: ANT+, USB 2.0, GPS, Glonass, WiFi 802.11 b/g/n de 2,4 GHz, WiFi Direct, Bluetooth 4.1, NFC e Smart Switch para PC
  • Sensores: Acelerômetro, sensor de Efeito Hall e sensor de proximidade
  • Dimensões: 145,8 x 72,3 mm
  • Espessura: 8,1 mm
  • Peso: 158 g
  • Cores disponíveis: preto, branco e dourado
  • Preço de lançamento: R$ 1.299

Design

A Samsung acompanhou tendências  e adotou uma carcaça com acabamento em metal

A Samsung acompanhou a tendência de montadoras chinesas e adotou uma carcaça com acabamento em metal a seu smartphone de entrada. No entanto, o acabamento só foi incorporado às laterais do dispositivo, o que traz lembranças do momento em que a fabricante estreou o Galaxy Alpha.

A decisão contribui para tornar a nova geração do J5 mais atraente que seu antecessor ao mesmo tempo que faz dele um produto mais resistente a choques físicos. A companhia continua apostando em uma proteção traseira de plástico, que deve ser removida para revelar duas entradas para cartões SIM e um slot para cartão micro SD de até 128 GB.

Os botões laterais são bem posicionados e respondem com facilidade aos comandos, algo que infelizmente não pode ser dito do botão Home, característica que a Samsung prefere manter em seus produtos. No J5, ele se mostra um tanto “duro” e ocupa uma área muito estreita, o que torna um pouco desconfortável lidar com ele — um grande pecado para um recurso tão essencial durante o uso cotidiano.

O Galaxy J5 Metal

Tela

A tela do J5 Metal tem um tamanho ligeiramente maior que a de seu antecessor, passando de 5 polegadas para 5,2 polegadas. Em compensação, a Samsung preferiu não apostar em mudanças na resolução máxima do display, que permanece sendo de 1280x720 pixels (720p).

A diferença de tamanho é sutil, só ficando clara caso você compare os dois produtos lado a lado. A opção pela tecnologia Super AMOLED garante níveis de brilho que facilitam a visualização de conteúdos mesmo quando uma fonte de luz externa incide diretamente sobre o aparelho — que conta com um modo especial que intensifica ainda mais sua iluminação em ambientes a céu aberto.

A tela é ligeiramente maior que a do modelo anterior

A resolução adotada pela Samsung permite ver conteúdos de maneira clara e bem definida, embora seja possível notar alguns elementos pixelizados caso você aproxime os olhos da tela. No entanto, isso só deve incomodar àqueles que se prendem a pequenos preciosismos, e o dispositivo permanece uma boa opção para visualizar fotos, navegar pela internet ou assistir a vídeos.

Interface

O Galaxy J5 sai de fábrica com o Android Marhsmallow 6.0.1 pré-instalado (atualização que também está disponível para seu antecessor) e traz algumas das comodidades normalmente restritas a produtos top de linha. Entre elas está o modo que reduz o consumo de dados móveis e o S Bike, voltado a garantir a segurança de quem usa bicicletas como meio de transporte.

O gadget oferece a seleção de softwares já bem conhecida de quem tem familiaridade com os dispositivos da companhia, como o S Health e a loja de aplicativos da Samsung. Felizmente, eles surgem em quantidade limitada e não ocupam um espaço muito substancial na memória interna.

A interface adotada ainda é a TouchWiz, que, embora seja menos intrusiva do que no passado, continua sendo divisiva entre os fãs do Android. O smartphone possui suporte ao sistema de temas da fabricante, inclusive a algumas opções desenvolvidas originalmente para produtos com características mais Premium.

Para completar, a Samsung continua apostando no oferecimento de uma série de aplicativos desenvolvidos pela Microsoft, que podem ser removidos facilmente caso você não os deseje. Em geral, a interface permanece inalterada com relação ao J5 de 2015, respeitando as devidas alterações de ícones trazidas pelo Android 6.0.1.

Desempenho

O Galaxy J5 Metal é um bom smartphone para a realização de tarefas cotidianas, como conferir redes sociais, receber e enviar emails ou conversar por mensageiros. No entanto, quem exige um maior desempenho gráfico ou costuma usar aplicativos mais pesados pode sair insatisfeito.

Um bom smartphone para a realização de tarefas cotidianas, como conferir redes sociais, receber e enviar emails

O dispositivo mantém o mesmo chipset Snapdragon 410 de sua versão anterior, tendo como principal diferencial a presença de 2 GB de memória RAM (1,5 GB no J5 de 2015). Isso faz com que o dispositivo tenha um desempenho bastante semelhante a seu antecessor, apresentando como principal vantagem levar um pouco menos de tempo para carregar aplicações que foram deixadas em segundo plano.

No quesito games, o J5 Metal tem um desempenho compatível somente com títulos que não exigem muito do hardware serem aproveitados. Em outras palavras, enquanto o aparelho não vai ter problemas em lidar com uma partida de Heartstone, quem preferir games como Asphault 8 vai sentir certa dificuldade em rodá-los com uma taxa aceitável de quadros por segundo.

Benchmarks

Câmera

Com o mesmo sensor de 13 megapixels da geração anterior, o Galaxy J5 Metal consegue capturar fotografias de forma competente, contanto que sua intenção seja somente compartilhá-las em redes sociais ou mantê-las para uso pessoal. Em outras palavras, não espere encontrar aqui um smartphone capaz de produzir conteúdos com qualidade profissional.

A lente traseira traz um sensor de 13 megapixels

A Samsung até oferece um modo de controle manual (chamado pela fabricante de “Pro”), mas a quantidade de opções oferecidas é bastante reduzida. Embora poder controlar o ISO, o tempo de exposição e ajustar filtros de iluminação seja algo positivo, isso se mostra somente suficiente para corrigir alguns problemas do modo automático, que tende a estourar a iluminação das fotografias.

A lente frontal também mantém o sensor de 5 megapixels, mas aposta em uma abertura maior que a do modelo anterior. Aliado ao flash frontal, isso permite capturar as famosas “selfies” com boa qualidade, embora você ainda vá ter que tomar cuidado com o sistema de foco automático.

O único quesito em que o Galaxy J5 Metal realmente peca é na captura de imagens em ambientes mal iluminados. Nessa situação, tanto vídeos quanto fotos apresentam uma quantidade razoável de ruídos e dificilmente o resultado final pode ser considerado satisfatório. Em outras palavras, recomendamos evitar o uso da lente fotográfica em locais sem uma boa iluminação, seja ela natural ou artificial.

Bateria

Um dos destaques positivos do Galaxy J5 se torna ainda melhor na versão Metal. A Samsung aposta em uma bateria de 3.100 mAh que permite usar o smartphone com frequência durante dois dias sem a necessidade de conectá-lo a uma tomada ou a um Power Bank.

A bateria pode ser removida e trocada com facilidade

Em nossos testes, o dispositivo conseguiu reproduzir aproximadamente 10 horas ininterruptas de vídeos com o WiFi ligado e o brilho da tela configurado para metade de sua capacidade máxima. Esse valor deve ser encarado somente como uma referência, visto que ele varia conforme seus hábitos de uso, dependência de conexões 3G/4G e quantidade de processos em segundo plano, entre outros elementos.

A fabricante também oferece um modo de economia de bateria que prolonga ainda mais o tempo de uso oferecido pelo aparelho. No entanto, nossa experiência indica que os donos do J5 Metal só precisam recorrer a isso em casos extremos, visto que mesmo no modo normal a bateria se mostra bastante resistente.

Áudio

Tal qual seu antecessor, o smartphone possui uma saída de som traseira com características mono. Isso significa que, embora o aparelho não vá falhar em reproduzir sons de notificação e toques, a qualidade oferecida não é suficiente para conseguir aproveitar games e músicas satisfatoriamente sem o auxílio de fones de ouvido. A intensidade sonora máxima é um pouco mais alta que a versão anterior, o que torna mais confortável usar sistemas como o viva-voz.

Vale a pena?

O Galaxy J5 Metal é uma evolução natural da linha, mas parece mais uma “nova maquiagem” do que a um verdadeiro upgrade no ponto de vista do hardware. O acabamento em metal traz um visual mais atraente ao smartphone, o que o ajuda a se assemelhar a produtos de categorias mais Premium.

No entanto, o pequeno incremento de memória RAM não é suficiente para diferenciar muito o desempenho da iteração em comparação com o produto que chegou às lojas em 2015. Ou seja, caso você já possua a versão anterior, não há muitos motivos para querer abrir a carteira e investir neste produto.

Com o incremento visual oferecido pela Samsung, o J5 ganha fôlego renovado para competir com produtos com características de hardware semelhantes, como a linha Moto G e o LG K8. O principal problema no momento atual é que a faixa de preço do dispositivo é ligeiramente maior que a de seus adversários mais diretos, mas felizmente isso é algo que tende a ser resolvido em questão de pouco tempo — seja por redução de valores ou por promoções pontuais.

.....

O Samsung Galaxy J5 Metal foi cedido por empréstimo pela loja Cissa Magazine para a realização desta análise.

E você, o que pensa sobre o novo modelo intermediário? Acha que vale a pena apostar nessa compra? Compartilhe sua opinião em nossa seção de comentários.

Cupons de desconto TecMundo: