Desde 1973, acontece a cada dois anos em Tóquio um evento chamado Exibição Internacional de Robôs (IREX, na sigla em inglês). É a maior feira de robótica do mundo, e reúne todo tipo de máquinas, desde braços hidráulicos capazes de levantar um carro facilmente até robôs financiados pelo governo japonês que estão sendo programados para atuar em situações de resgate.

Companhias como a Fanuc, que produz equipamentos robóticos utilizados nas fábricas da Apple e da Tesla, aproveitam a ocasião para promover suas novas invenções, mas há espaço também para robôs dançarinos, parceiros de conversa eletrônicos e mais. Até mesmo o RoboHon, de quem já falamos aqui, esteve presente na feira.

Vestida como uma atendente dos famosos “Maid Café” japoneses, a robô Premaid Ai utiliza 25 servomotores para dançar em diversos ritmos. Custa ¥ 138 mil (cerca de R$ 4,2 mil) na versão básica ou ¥ 148 mil (cerca de R$ 4,5 mil) na versão que vem com um smartphone Android low-end.

O Omnibot Ohanas, da companhia Takara Tommy, custa ¥ 19,8 mil (cerca de R$ 601) e foi produzido para servir como um companheiro de conversação. Na imagem acima, uma repórter discutia com o robô sobre diversos ídolos japoneses em diferentes esportes.

A HiBot desenvolveu o ACM-R5H, apelidado de "Mechapythonoides amphibia", robô com design inspirado no corpo de uma enguia que pode ser utilizado para pesquisa, artes performáticas e até na inspeção de espaços inundados de difícil acesso, segundo seus criadores.

O formato oval do robô MJI – sigla em inglês para “Inovação Mais Alegre” – não permite que ele se mova, mas seus olhos expressivos reagem à conversa ao seu redor e a pequena máquina também serve para dar informações sobre o tempo, notícias e notificações de telefone.

RoboHon, o robô smartphone da Sharp, também apareceu na IREX 2015

O robô Alpha 1S, da UBTech, também possui ótimos movimentos de dança, apesar da expressão ameaçadora.

A companhia japonesa “Nova Organização para o Desenvolvimento Tecnológico Industrial e Energético” – NEDO, na sigla em inglês – reuniu as maiores multidões de expectadores enquanto demonstrava seus robôs de resgate, que estão sendo preparados para atuar em zonas onde ocorreram desastres naturais. O primeiro deles, que você confere na imagem acima, é o HRP-2 Kai, nova versão de um robô desenvolvido originalmente há cerca de dez anos.

O segundo se chama Jaxon, e teve o seu nome inspirado no do falecido cantor Michael Jackson.

No circuito de demonstração das habilidades dos robôs, a NEDO preparou um cenário que simulasse um túnel que havia desmoronado por causa de um terremoto. Kai consegue se equilibrar em uma tábua estreita enquanto Jaxon se agacha e rasteja em um espaço apertado.

A Kawasaki, conhecida por produzir motocicletas, levou à feira o Duaro, braço robótico programado para desenhar retratos a partir de fotos que ele mesmo captura.

Esse é o resultado de uma das ilustrações feitas pela máquina.

Em uma escala maior, a empresa também levou para o evento robôs capazes de pintar carros inteiros em pouco tempo.

A fabricante de equipamentos robóticos Fanuc é uma das companhias mais secretas do Japão, devido aos seus contratos com empresas de grande porte como a Apple e a Tesla. No entanto, isso não a impediu de montar um estande gigantesco com seu característico tom de amarelo durante a IREX 2015.

O maior robô que a companhia apresentou na feira é capaz de levantar facilmente um carro do chão, como você confere na imagem acima e no vídeo abaixo.

irex 2015

Um vídeo publicado por sam byford (@345triangle) em

Pensando em como o telefone e a televisão estão hoje nas casas de praticamente todo mundo, quais tipos de robôs você acredita que serão os primeiros a estarem em qualquer residência? Comente no Fórum do TecMundo

Cupons de desconto TecMundo: