Monitorar redes sociais, trabalhar, encontrar formas alternativas de lazer, estudar... As tarefas da atualidade parecem ter tomado o lugar de obrigações tidas como fundamentais há alguns anos. Fato é que o simples ato de cozinhar é costume raro dentre pessoas atarefadas. Seja por falta de tempo ou por mera inaptidão, colocar alguns litros de água para ferver pode ser desafio cabal a quem nunca esquentou a barrida junto do forno de um fogão.

E parece que o futuro reserva regalias de ouro à nossa agitada sociedade. É que pesquisadores do Centro Australiano NICTA e da Universidade de Maryland publicaram um estudo sobre as capacidades de aprendizagem de robôs. Após assistir a 88 vídeos postados no YouTube de pessoas cozinhando, o sistema de inteligência artificial (IA) das máquinas foi capaz de identificar não apenas quais utensílios de cozinha foram usados; até mesmo a forma de manipulação de cada ferramenta foi registrada pelos “cozinheiros de metal”.

Imagem ilustrativa.

Aprendendo a ser humano

“[Os vídeos postados no YouTube] representam um problema visual significativamente desafiador, pois vai além do simples ato de cozinhar (o fundo das cozinhas e os ângulos de câmera são diferentes)”, explicam os cientistas. A intenção do projeto não é criar uma série de cozinheiros autômatos; investigações sobre como atribuir características do comportamento humano às máquinas é que estão sendo feitas pelos pesquisadores.

O sistema de IA foi capaz de “prever”, por exemplo, qual utensílio e qual ingrediente seriam usados para a confecção de uma determinada receita. Este processo significa um avanço de grande valia à robótica, uma vez que o mecanismo de aprendizado por meio de estímulos visuais se mostra viável.

Cupons de desconto TecMundo: