Coágulos cranianos são uma condição muito grave e que podem levar os pacientes à morte rapidamente — tanto pela condição em si quanto pelos processos cirúrgicos, que são muito arriscados. Há estudos que mostram que existe uma taxa de mortalidade de 40% em situações que envolvem esse tipo de coágulo e os tratamentos atuais não são garantia de sobrevivência para os pacientes.

Mas agora, uma nova notícia começa a sugerir chances bem interessantes de que haja uma alteração nesse cenário. Pesquisadores da Universidade de Vanderbilt (nos Estados Unidos) desenvolveram um sistema inovador que pode oferecer novas alternativas para pessoas com coágulos cranianos. Trata-se de um sistema de agulhas robóticas capazes de drenar os acúmulos sanguíneos com bastante eficiência.

Com dois tubos bem finos, as agulhas conseguem penetrar a camada craniana e realizar a sucção do sangue sem causar danos colaterais. Médicos humanos são necessários apenas para determinar quais são as posições e os ângulos de inserção das agulhas. Todas as outras fases de controle são realizadas por computadores.

(Fonte da imagem: Reprodução/Universidade de Vanderbilt)

Nas simulações realizadas até agora, os médicos conseguiram 92% de eficiência na drenagem dos coágulos. Ainda não há informações sobre as possibilidades de testes reais e comercialização do sistema, mas espera-se que em alguns anos as agulhas robóticas já estejam realizando suas primeiras operações reais. Será que a ideia da Universidade de Vanderbilt vai conseguir chegar aos hospitais?

Cupons de desconto TecMundo: