Nossa ligação pode ficar ainda mais próxima. (Fonte da imagem: ThinkStock)

Por mais avançados que estejam atualmente, os robôs ainda estão longe de se passarem por humanos – especialmente na compreensão da fala humana, que é cheia de peculiaridades. Palavras homônimas (como manga, que pode ser a fruta ou a parte da camisa) que também podem ser gírias (“massa” é tanto algo legal quanto uma comida) já são complicadas de serem decifradas por humanos, quanto mais por máquinas artificiais.

Pensando nisso, dois psicólogos bolaram uma série de equações matemáticas sobre a probabilidade de uma pessoa se referir a um objeto particular ou a um outro significado da mesma palavra, como nos casos citados acima. Hipérboles e sarcasmos, por exemplo, também seriam compreendidos mais facilmente.

Aí vem a parte prática: colocada em computadores e analisando todo um contexto, elas podem ser inseridas na programação de linguagem de robôs no futuro. Em usos mais simples, atendimentos automáticos podem ficar mais inteligentes.

As pesquisas de desenvolvimento das fórmulas foram feitas com base em um estudo com 745 voluntários – e a probabilidade de cada um escolher um termo ou outro para descrever um objeto foi usada na composição do trabalho. Apesar da boa notícia, os responsáveis acreditam que ainda são necessários anos de trabalho até que haja algum resultado prático.

Fonte: Innovation News Daily

Cupons de desconto TecMundo: