Seis estudantes de Engenharia Elétrica da Universidade de Northeastern, localizada em Boston, nos Estados Unidos, desenvolveram um braço robótico controlado pelo olho. O trabalho ganhou o primeiro lugar em uma competição interna da faculdade.

O mais surpreendente é que a solução criada pelos alunos é relativamente barata: as atuais alternativas de aparelhos que podem alimentar uma pessoa de forma autônoma custam na faixa de US$ 3.500 (mais de 7 mil reais na cotação atual), mas o produto desenvolvido pelos estudantes pode ser construído com cerca de 900 dólares (1.800 reais, aproximadamente).

Aumento de autonomia

Segundo seus criadores, o iCraft (como foi batizado) tem o potencial de dar a milhares de pessoas com paralisia a independência para comer, com o mínimo de auxilio de um enfermeiro ou profissional responsável.

A tecnologia não é nova. Já existe no mercado um implante chamado de BrainGate que permite que um braço robótico seja controlado com o pensamento. Mas essa alternativa é mais invasiva porque necessita de um processo cirúrgico para conectar os desejos do usuário com o comportamento do robô.

Solução barata e simples

No caso da invenção dos estudantes, o paciente controla o braço robótico apenas olhando para uma tabela na tela do computador. A equipe desenvolveu um software de rastreamento ocular que direciona as pupilas dos pacientes para suas escolhas alimentares.

A tabela conta com quatro segmentos: duas delas para comida e uma para água, sendo que a última permite que o paciente tenha um tempo para comer. Basta o paciente olhar para o segmento que deseja para que sua vontade seja cumprida.

A interface gráfica projetada pela equipe surpreendeu os juízes do prêmio pela simplicidade. De acordo com o site oficial da universidade, eles ficaram impressionados com a forma que o iCraft terá impacto entre o público-alvo e com a integração bem-sucedida entre o rastreamento ocular e a robótica.

Fonte: Northeastern University

Cupons de desconto TecMundo: