O objetivo do negócio é que a companhia chinesa use a Kuka para realizar sua automação e produzir robôs com funções mais próximas do ser humano

A maior empresa de robôs da Alemanha deve começar a fabricar dispositivos robóticos para o consumidor final, como aplicações domésticas, estimulada por sua nova dona, a empresa chinesa de eletrodomésticos Midea.

A Kuka, famosa no mundo todo pelo braço robótico que dançou com a bailarina Amy Purdy na abertura das Paralimpíadas de 2016 no Rio de Janeiro, foi adquirida pela Midea no ano passado por cerca de 4,5 bilhões de euros, ou R$ 16,7 bilhões. O objetivo do negócio é que a companhia chinesa use a Kuka para realizar sua automação e produzir robôs com funções mais próximas das do ser humano.

O que será que vem por aí?

Ainda não está claro que tipo de produtos a Kuka deve produzir sob a supervisão da Midea, mas tudo indica que vamos passar a ver essa marca muito mais, visto que hoje ela ainda está muito mais ligada apenas a indústrias de grande porte. Isso indica que poderemos ver aplicações bem mais robustas do que simples hubs domésticos.

iiwa ajuda funcionários que trabalham em indústrias, mas vai poder ajudar você em casa no futuro

Uma boa ideia do que pode ser lançado por essa parceria é o robô iiwa, da Kuka, projetado para ajudar trabalhadores em fábricas como se fosse “um terceiro braço”. Com pouco tempo de aperfeiçoamento, vamos poder ter, por exemplo, um belo ajudante de cozinha ou para limpar a casa com bem menos esforço.

Cupons de desconto TecMundo: