Cada vez mais os carros ganham recursos tecnológicos — gadgets que não vêm só para garantir mais segurança ou melhor dirigibilidade, mas também para trazer conforto e facilidade, seja por meio de um GPS integrado, computadores de bordo ou rádios com MP3 e DVD.

E com isso acontece uma queda de braço entre as montadoras (que buscam oferecer essas melhorias) e as agências governamentais, que procuram diminuir a incidência dos acidentes de trânsito – causados, em grande parte, por causa de distrações dos motoristas.

Nessa discussão, um recurso muito importante entra em destaque: os dispositivos de funcionamento por comandos de voz. Com este tipo de aparelho, segundo as companhias, o motorista pode mexer no GPS, trocar músicas no iPod ou mesmo mandar mensagens SMS sem precisar tirar o olho da estrada.

Entretanto, apesar de aparentar ser uma solução próxima à perfeição, o fato é que os dispositivos ordenados por meio da fala do motorista ainda apresentam um grave problema: muitos não reconhecem a voz feminina.

Sistemas de reconhecimento de voz não entendem direito a voz feminina (Fonte da imagem: Reprodução/ AOL Autos)

Mesmo os mais sofisticados, como o presente no Ford Focus 2012 americano, por exemplo, contam com esse defeito, algo capaz de fazer com que as motoristas desistam por acabarem parecendo malucas gritando sozinhas dentro do próprio carro.

Em muitos casos, o sistema até consegue identificar o que foi comandado pela voz feminina, todavia, apresenta resultados errôneos ou, então, listas com alternativas semelhantes ao que foi entendido pelo computador de bordo. Isso acaba por eliminar toda a utilidade do comando de voz, uma vez que a ideia é fazer com que a motorista não tire os olhos da pista.

Segundo as montadoras e empresas que desenvolvem este tipo de recurso, o problema tem diminuído drasticamente nos últimos dez anos devido à evolução da tecnologia. Além disso, a Ford afirma que os seus computadores apresentam somente 2% a mais de problemas com vozes femininas do que masculinas. Infelizmente, não é o que parece.

Que sotaque é esse?

Além dos problemas com a voz feminina, outra dificuldade encontrada pelos sistemas de reconhecimento de fala está relacionada aos sotaques. Muitas das reclamações deste tipo de gadget têm a ver com regiões que apresentam grandes diferenças no jeito de falar, como as particularidades existentes entre o inglês estadunidense e o da Inglaterra, por exemplo.

Focus 2012: muita tecnologia e comandos por voz que nem sempre funcionam (Fonte da imagem: Reprodução/Ford)

As empresas dizem que os sistemas estão em constante evolução e que é normal ser necessário que você repita uma ou duas vezes a ordem enviada. Além disso, outros falam que é preciso entender algumas das nuances do aparelho, identificar o “jeitinho” de falar o que você deseja.

Resta aos consumidores esperar pela evolução dos sistemas e softwares que, segundo os seus desenvolvedores, deve se tornar tão exato que o motorista pensará estar conversando com um passageiro.

Cupons de desconto TecMundo: