A realidade virtual está oficialmente na moda e novos concorrentes a esse mercado pouco explorado parecem surgir a cada dia que passa – como é o caso do StarVR, que você pode conferir clicando aqui. Encarando esse cenário, a Valve e a HTC vêm se esforçando para diferenciar o seu Vive dos demais competidores, frisando o compromisso de eliminar completamente o risco de enjoos com o aparelho.

O mal-estar causado pelo uso dos aparelhos de RV é um dos maiores problemas encarados pelas novas tecnologias. Após experimentar os protótipos que já circularam pelo mundo, a maioria das pessoas parece aceitar que um pouco desse desconforto é algo que será difícil de evitar, independentemente da qualidade do equipamento. A Valve, no entanto, está se esforçando para que essa possibilidade simplesmente não exista.

Nesse sentindo, a companhia está ajudando a HTC a desenvolver um conjunto de sensores que permitirá que os jogadores caminhem naturalmente e não tenham que usar um controle para mover seus personagens no espaço virtual. Para alcançar o melhor resultado possível, a empresa de desenvolvimento Owlchemy Labs está ajudando no processo.

Fazendo direito

“As pessoas costumam pensar ‘Bem, a Oculus disse que você provavelmente ficaria sentado, então é só apertar um botão e dirigir’. Os jogos de cockpit vão ver importantes, claro. Mas, pessoalmente, a direção que a Owlchemy está tomando é uma abordagem sem enjoo algum. Ponto final. Games desenvolvidos apropriadamente para o Vive não vão deixar absolutamente ninguém ficar enjoado”, afirmou Alex Schwartz, representante da desenvolvedora.

Para ajudar nesse processo, os controles de movimento serão um recurso “padrão e necessário” para o Vive, o que cria um contraste com o que vemos no Oculus Rift, por exemplo, com seus recém-anunciados controles Touch opcionais. Dessa forma, a Valve e a HTC buscam tornar o seu aparelho o mais imersivo possível, e não apenas uma tela 3D capaz de rastrear os movimentos da sua cabeça.

Cupons de desconto TecMundo: