(Fonte da imagem: The Verge)

Ouvir música geralmente nos deixa relaxados, e, por muitas vezes, também nos ajudam a passar o tempo no trânsito, no ônibus ou mesmo em casa. Da mesma forma, os prisioneiros nos Estados Unidos também podem optar em escutar rádio enquanto cumprem suas penas, e um modelo específico de rádio portátil da Sony oferece a segurança e a durabilidade para esta tarefa: o SRF-39FP, conhecido também como o “iPod da prisão” na pesquisa do The New Yorker.

Não estamos falando de contrabando de aparelhos ou qualquer outra atividade ilegal por parte dos presos – o antigo rádio é formalmente oferecido em um formulário junto de outros itens, como tintura de cabelo, fitas para máquina de escrever da IBM ou mesmo pasta de dente. A compra é feita de um mercado certificado de comissários que oferecem dezenas de produto para as prisões federais.

Velinho, mas duradouro

O SRF-39FP, no entanto, não é um modelo muito avançado, completando 15 anos desde seu lançamento no mercado. A cobertura de plástico mostrando todo o circuito do aparelho possibilita aos guardas detectar qualquer tipo de contrabando para dentro das celas. Além disso, com uma única pilha AA é possível ouvir rádio por 40 horas, garantindo que os presos não precisem gastar muito dos seus limitados créditos dentro da prisão para manter o dispositivo ligado.

Modelos de MP3 também são oferecidos pelas prisões federais, mas o custo chega a ser três vezes maior que o SRF-39FP. Para complicar mais ainda, cada download também deverá ser pago pelos presos, custando entre 50 centavos até um dólar por cada música baixada.

A grande precisão de sinal também é um dos diferenciais na escolha do rádio portátil da Sony, que consegue até mesmo captar os sinais de longo alcance (AM) – garantindo entretenimento, informação e segurança mesmo dentro das celas.

Cupons de desconto TecMundo: