Com a economia brasileira passando por um momento difícil e o dólar nas alturas, quase todas as marcas de smartphones têm subido seus preços astronomicamente. Para se destacar indo contra essa tendência, a Quantum lançou o seu primeiro smartphone: o Quantum Go. Esse dispositivo foca em entregar o máximo para o consumidor pelo menor preço possível.

Ele tem um processador octa-core de bom desempenho, 2 GB de RAM, além de tela e design muito atraentes. Contudo, a marca vai enfrentar o duro e concorrido mercado brasileiro, que é muito influenciado por marcas conhecidas e preços baixos.

Em nossos testes, o Quantum Go mostrou que tem poder de sobra para bater os intermediários do mercado atual, como Xiaomi Redmi 2, Motorola Moto G de terceira geração, ZenFone 6 e ZenFone Selfie. Na verdade, ele concorre mais com aparelhos como o Moto X Play, os chamados “intermediários premium”, alguma coisa entre os top de linha e os intermediários comuns.

Design

Logo que você segura o Quantum Go pela primeira vez, é possível perceber que se trata de um aparelho fora do comum. Ele tem um design muito similar ao Omnibance da linha Xperia da Sony, mas traz algumas características só suas. No geral, ele passa a sensação de ser um smartphone muito premium e bem mais caro do que realmente é.

As faces traseira e frontal são cobertas com vidro Gorilla Glass 3, e as bordas são feitas em um tipo de policarbonato que imita muito bem o aço escovado ou o alumínio fosco. Até aquela sensação geladinha na mão você sente. O lado negativo disso tudo é o fato de esses materiais terem deixado o smartphone bastante escorregadio.

Ele desliza das suas mãos com facilidade e também escorrega de cima de qualquer superfície que não seja perfeitamente plana. É muito aconselhável comprar uma das capinhas oferecidas pela fabricante em sua loja oficial.

Ademais, ele não tem nenhum botão físico na face frontal ou traseira. Na lateral direita, você encontra os botões de volume e o Power, que fica convenientemente posicionado mais para baixo. Ainda nessa lateral, temos a gaveta para o cartão Micro SD de até 32 GB. No lado oposto, temos a gaveta para os dois chips Micro SIM. No fundo, fica o alto-falante mono e, no topo, a saída micro USB e a P2 para fones de ouvido.

Especificações técnicas

Desempenho

Como você pôde notar na tabela acima, o Quantum Go não tem problemas no que diz respeito às configurações. Ele conta com um chip MediaTek octa-core de 1,3 GHz que consegue funcionar muito bem até mesmo em tarefas mais exigentes. As duas versões da GPU também foram suficientes para lidar com jogos pesados e intermediários sem qualquer problema, incluindo Need For Speed: Most Wanted, Angry Birds 2, Riptide GP2 e Rayman Jungle Run.

Isso também se refletiu nos resultados de benchmark, que deixaram o modelo da Quantum à frente de concorrentes conhecidos e em pé de igualdade com modelos vendidos por mais que o dobro do seu preço básico.

Para a realização desta análise, submetemos o Quantum Go a cinco aplicativos de benchmark. São eles: 3D Mark (Ice Storm Unlimited), AnTuTu Benchmark 5, Basemark X, GFX Bench (T-Rex HD Off Screen e T-Rex HD On Screen) e Vellamo Mobile Benchmark (HTML 5 e Metal). Note que o modelo que recebemos para análise foi o com rede 4G e chip 64-bit.

3D Mark (Ice Storm Unlimited)

O teste Ice Storm Unlimited, do 3D Mark, é utilizado para fazer comparações diretas entre processadores e GPUs. Fatores como resolução do display podem afetar o resultado final. Quanto maior a pontuação, melhor é o desempenho.

AnTuTu Benchmark 5

Um dos aplicativos de benchmark mais conceituados em sua categoria, o AnTuTu Benchmark 5 faz testes de interface, CPU, GPU e memória RAM. Os resultados são somados e geram uma pontuação final. Quanto maior a pontuação, melhor é o desempenho.

Basemark X

O Basemark X tem como foco principal mensurar a qualidade gráfica dos dispositivos. Baseado na engine Unity 4, o app aplica testes de alta densidade, mostrando qual dos aparelhos se sai melhor na execução de jogos. Quanto maior a pontuação, melhor é o desempenho.

GFX Bench (T-Rex HD)

O GFX Bench é voltado para mensurar a qualidade gráfica. Isso inclui itens como estabilidade de desempenho, qualidade de renderização e consumo de energia. Os resultados são revelados em média de frames por segundo (fps). Quanto maior a pontuação, melhor é o desempenho.

Vellamo Mobile Benchmark

O Vellamo Mobile Benchmark aplica dois testes ao aparelho: HTML5 e Metal. No primeiro deles é avaliado o desempenho do celular no acesso direto à internet via browser. Já no teste Metal, o número final indica a performance do processador. Quanto maior a pontuação, melhor é o desempenho.

Tela

A tela do Quantum Go é constituída de um display AMOLED de 5’’ e resolução HD. Isso garante uma densidade de pixels de 293 ppi, um pouco abaixo da marca dos 300 ppi, considerada ideal para que os olhos humanos não notem nenhum aspecto “pontilhado” na tela. Apesar disso, ela é de ótima qualidade, com um nível de brilho acima da média e ótima reprodução de cores em geral.

Contudo, quando você coloca a iluminação em níveis bem baixos, as cores começam a ficar distorcidas, especialmente as mais claras, como amarelo, vermelho e similares. Isso pode ser irritante caso você queria assistir a algum vídeo no aparelho em um quarto completamente escuro, por exemplo. Contudo, no geral, o problema não é muito evidente.

Os ângulos de visão da tela também são bem amplos, permitindo aos usuários enxergar todo o conteúdo sem qualquer esforço mesmo em posições desafiadoras. Isso é importante na hora de ver algum filme deitado na cama ou na hora de mostrar alguma coisa para várias pessoas ao mesmo tempo na sua tela.

Interface

A Quantum resolveu ir pelo mesmo caminho da Motorola, personalizando a interface do seu aparelho de forma bem leve. Você só encontra alguns ícones diferentes, dois ou três apps extras e algumas funcionalidades espalhadas pelo sistema como um todo. Na área de notificações, por exemplo, você pode perceber os botões “Perfis de áudio” e “Intervalo”, que não estão presentes no Android original.

Com o primeiro, você consegue alternar entre opções pré-configuradas de sons de alertas e notificações. “Intervalo” permite ao usuário escolher entre 15, 30 e 60 segundos de tempo para manter a tela acessa em inatividade.

Fora isso, a fabricante deixou o launcher do sistema mais simples, sem aquelas animações bonitas do Android Lollipop, e adicionou o botão “Reiniciar” no menu exibido quando você segura o botão Power por alguns instantes.

Ainda não há uma data concreta, mas a fabricante parece comprometida com a atualização do smartphone pelo menos para a próxima versão do sistema. Contudo, a assessoria da marca confirmou ao TecMundo o seguinte:

A escolha de utilizar o Android 5.1 em um formato mais puro teve por objetivo gerar a capacidade de liberar as atualizações com maior agilidade. Ainda não temos uma data de lançamento confirmada, mas, assim que a Google disponibilizar a versão final do Android 6.0 Marshmallow, começaremos a trabalhar para disponibilizá-la ao nosso consumidor.

Câmeras

As câmeras do Quantum Go têm qualidade de mediana para boa, trazendo um sensor de 13 MP na parte traseira e outro de 5 MP na frontal. A câmera de maior resolução consegue fazer boas fotos em situações de iluminação variadas, mas requer um pouco de atenção do usuário: você tem que ir tocando em várias partes da tela para ver onde o foco consegue equilibrar melhor as imagens.

Isso é ainda mais importante para fazer fotos em ambientes escuros, quando você deve focar sempre no elemento mais brilhoso do quadro para conseguir um equilíbrio de cor e luz mais interessante.

No geral, em nossos testes, conseguimos fazer boas fotos com esse sensor traseiro. Confira a galeria.

Como você pôde ver nas últimas imagens da galeria, a câmera frontal não é tão versátil quanto a traseira. Ela tira fotos com qualidade mediana ou ruim, mas isso não é exatamente o problema. Quando você ativa o sensor frontal, a imagem em tempo real que aparece na tela é muito processada, parecendo utilizar aqueles métodos “embelezadores” de que programas de edição asiáticos tanto gostam. Quando você faz a captura, entretanto, esse problema é praticamente eliminado, algo um tanto estranho.

Bateria

Apesar de ser considerada “pequena”, com capacidade de apenas 2.300 mAh, a bateria do Quantum Go é capaz de mantê-lo funcionando por um dia inteiro de uso moderado. Em nossos testes, notamos que, mesmo fazendo várias fotos, vídeos e acessando apps de redes sociais, navegadores web e games mais básicos, ela não morreu antes da hora.

Em um teste mais metódico, conseguimos acabar com toda a carga da bateria em 6 horas e 15 minutos de execução de vídeo contínua no YouTube. Isso foi feito com o WiFi ligado e brilho da tela no máximo. Essa marca não é excelente, mas está na média dos intermediários e tops de linha da atualidade.

Isso é uma boa notícia para um smartphone tão fino quanto o Quantum Go, que possui apenas 6,5 mm de espessura. O processador octa-core da MediaTek, junto com algum sistema de gerenciamento de energia da própria fabricante, é o grande responsável por esse desempenho.

Áudio, TV e acessórios

Esse smartphone vem com um fone de ouvidos intra-articular de qualidade sonora razoável. A sua construção, entretanto, é bem acima da média para um acessório de smartphone tão barato. O design é feito para não enrolar com facilidade no seu bolso ou mochila, e você recebe várias borrachinhas para substituir as pré-instaladas quando forem perdidas ou ficarem velhas.

Na parte do fundo do smartphone, você confere duas grades que, aparentemente, são saídas de som. Contudo, apenas uma delas realmente esconde um alto-falante, sendo a outra somente um item decorativo. Por conta disso e também do posicionamento, o som do dispositivo não é muito alto e sua qualidade fica aquém do esperado.

Você ainda recebe uma antena de TV que deve ser conectada à saída micro USB do smartphone. Com isso, você pode assistir a todos os canais de TV digital da sua cidade em qualquer parte. Contudo, em nossos testes, notamos que as imagens raramente são captadas com qualidade, mas o software da TV é bem simples de usar.

Vale destacar ainda que todos os modelos do Quantum Go são dual-SIM e possuem uma entrada para cartões micro SD posicionada em uma gaveta separada. Ou seja, diferente de alguns modelos da Samsung, você pode usar ambos os chips de operadoras e ainda expandir o armazenamento do aparelho.

Uma nova marca?

Como este é o primeiro smartphone lançado pela Quantum, é comum ficar com um pé atrás a respeito de vários fatores. Um deles seria a possibilidade de não encontrar um suporte pós-venda adequado.

Contudo, a empresa garantiu ao TecMundo que esse não é o caso, já que ela utiliza a estrutura da Positivo Informática para oferecer serviços ao consumidor, como consertos dentro da garantia e substituição de componentes. Onde não há locais para atendimento presencial, a marca oferece coleta e entrega via correios.

Vale a pena?

A Quantum surpreendeu o mercado com o lançamento do seu primeiro smartphone. A marca conseguiu causar uma boa primeira impressão e, se continuar trazendo produtos similares, provavelmente vai se dar muito bem e construir uma boa reputação entre os consumidores brasileiros. O que pode ser um entrave é só o fato de a marca não estar distribuindo seu modelo em grandes varejistas. Somente seu site vende o smartphone por enquanto.

Apesar de ser muito parecido com os celulares da Sony, o Quantum Go impressiona pelo design bem acabado e de boa qualidade. É um daqueles aparelhos que faz todo mundo perguntar de onde ele veio assim que coloca os olhos nele.

Em questão de desempenho, é possível compará-lo ao Moto G de 3ª geração, ao ZenFone Selfie e até ao Moto X Play, todos mais caros que ele e com performance igual ou inferior. A escolha do chip octa-core da MediaTek e dos 2 GB de RAM é responsável por esse desempenho e ajuda a fazer a diferença nos benchmark e no uso cotidiano.

A Quantum realmente conseguiu produziu um aparelho bastante balanceado por um preço que nenhuma outra fabricante no Brasil está conseguindo bater. O valor do modelo mais barato é R$ 699, isso com 16 GB de armazenamento e rede 3G. Com 32 GB e 4G, ele pula para R$ 899.

Em qualquer uma das configurações, o Quantum Go é um smartphone que realmente vale a pena comprar. Mas se você se preocupa com uma possível fragilidade, a marca vende várias capinhas estilosas em seu site para que o aparelho fique sempre protegido.

Cupons de desconto TecMundo: