(Fonte da imagem: Divulgação/Marvel)

Robert Downey Jr. recebeu US$ 50 milhões para representar Tony Stark, o Homem de Ferro, nos cinemas. Isso somente para o filme “The Avengers” (“Os Vingadores”), que esteve em cartaz no ano de 2012.  

Quando assinou seu contrato para fazer o primeiro filme do Homem de Ferro, o ator estava enfretando uma série de problemas pessoais (o que inclui a passagem por clínicias de reabilitação para dependentes químicos). Na época, o personagem representado por Downey Jr. também estava em baixa e não fazia parte do primeiro time de heróis da Marvel — pelo menos não para considerá-lo uma aposta certa nos cinemas.

Mas a combinação dos dois deu muito certo. Apenas no final de semana de estreia, o filme arrecadou US$ 98 milhões e saiu de cartaz com a incrível marca de US$ 585 milhões em todo o mundo. Isso é muito mais do que foi gasto na produção: US$ 140 milhões. Quem fez essas contas foi Marcelo Forlani, que ainda foi muito além.

(Fonte da imagem: Divulgação/Marvel)

Ele fala também sobre o segundo filme da franquia, que arrecadou US$ 624 milhões. Isso sem contar o que foi faturado fora dos cinemas, com cópias em diversas mídias e licenciamento para a exibição em canais de TV e produtos diversos sobre a saga de Tony Stark. Com tudo isso, o herói deixou de ser parte do segundo time da Marvel e tornou-se o principal representante dos Vingadores no cinema.

Por isso, o valor de US$ 50 milhões realmente é válido para a presença de Robert Downey Jr. nos cinemas. Como o próprio Forlani diz em seu texto: “50 milhões de dólares é muito dinheiro? Não para a Marvel, que já lucrou muito mais do que isso. E nem para Tony Stark, dono de uma fortuna virtual estimada pela Forbes em 8,8 bilhões de dólares”.

Cupons de desconto TecMundo: