(Fonte da imagem: Reprodução/Reuters)

Enquanto você não vê a hora de colocar suas mãos em um PlayStation 4, alguns jovens chineses não aguentam mais olhar para ele. Isso porque, segundo a imprensa local, mais de mil alunos do Instituto de Tecnologia de Xi’an foram praticamente obrigados a trabalhar na fábrica da Foxconn para montar o console em troca de créditos estudantis.

De acordo com o site Quartz, relatos afirmam que esses estudantes de engenharia estavam sendo tratados como funcionários da montadora, realizando turnos noturnos e cumprindo horas extras para conseguir o comprovante necessário para poderem se formar.

Após toda a polêmica gerada, a Foxconn emitiu um comunicado oficial confirmando as irregularidades. Segundo a empresa, uma comissão instaurada para investigar o caso descobriu o problema na fábrica, pois a situação dos jovens ia contra suas políticas internas.

(Fonte da imagem: Reprodução/Engadget)

A montadora diz ter tomado ações imediatas para regularizar a situação e que haverá um reforço na fiscalização para que casos semelhantes não se repitam no futuro. A Sony não se pronunciou sobre o assunto.

No entanto, vale ressaltar que, como o próprio Quartz aponta, a política de parcerias da Foxconn com algumas universidades não vê problemas em contratar estudantes — contanto que seja durante o dia — e tratá-los como funcionários regulares, já que ambos contam com a mesma carga horária, funções e salário.

Via BJ

Cupons de desconto TecMundo: