Nicolas Huchet, francês de 32 anos que perdeu a mão aos 19 anos de idade, conseguiu transformar sua situação em um incentivo para inovar e ajudar a vida de outras pessoas. Atualmente, ele se dedica a produzir próteses biônicas de baixo custo usando como base de seu empreendimento impressoras 3D.

“Não quero vender mãos biônicas, quero construir minha mão e participar da reparação do meu corpo, mas também da minha autoestima”, afirmou ele à Agência Efe. “O mais importante é o equilíbrio mental”, complementa Huchet. Seu projeto inovador se tornou um dos dez finalistas do concurso Google Impact Challenge, que vai premiar o vencedor com 500 mil euros.

O projeto, batizado “My Human Kit”, quer provocar uma mudança social ao permitir que qualquer pessoa possa produzir sua própria prótese graças ao conhecimento partilhado por qualquer indivíduo na mesma situação. “Sozinhos não somos quase nada”, afirma Huchet, que alterna o uso de uma mão mecânica de “pinça” cedida pela Seguridade Social francesa e seu próprio protótipo.

Mão biônica é só o começo

Huchet espera que sua invenção, batizada de “BionicoHand”, deverá custar entre 1 mil a 1,5 mil euros em sua forma finalizada — opções comerciais disponíveis atualmente ultrapassam os 65 mil euros. Além de atrair a atenção da Google, o projeto também chamou impressionou os engenheiros do MIT, que selecionaram o criador como um dos 10 jovens mais inovadores da França.

Ele vê a fabricação de mãos postiças somente como o início de seu projeto, que é criar um “handylab”, um laboratório totalmente dedicado à reparação de partes do corpo para pessoas com incapacidade. “Podemos sobreviver e ajudar pessoas. Não vamos mudar o mundo, mas podemos participar”, concluiu.

Cupons de desconto TecMundo: