Um dos problemas de mãos protéticas é o fato de elas não oferecem sensibilidade de toque a quem as utiliza. Com isso, a pessoa não tem noção da força necessária para segurar alguma coisa, podendo deixá-la cair no chão ou quebrá-la devido ao uso de força excessiva. Mas isso pode estar perto de ser solucionado.

Uma publicação do site MIT Technology Review mostra uma prótese, em desenvolvimento por pesquisadores das instituições Cleveland Veterans Affairs Medical Center e Case Western Reserve University, que possui 20 eletrodos incorporados os quais são conectados diretamente aos nervos do braço da pessoa.

Isso permite que o amputado recupere a sensibilidade tão crítica na hora de segurar e manipular objetos. Diferentes de outras tecnologias que utilizam estímulos elétricos para indiretamente acionar os impulsos nervosos, este protótipo estimula diretamente a terminação nervosa que seria responsável pela sensibilidade das mãos caso a pessoa não tivesse sofrido a amputação.

(Fonte da imagem: Reprodução/MIT Technology Review)

Além dessa vantagem de precisão e ampliação da sensibilidade, o mecanismo em desenvolvimento tende a promover efeitos de sensibilidade permanentes, algo que, em equipamentos que funcionam com estímulos elétricos, começa a ser menos efetivo depois de 18 meses. A tecnologia ainda não está pronta e precisa ser aprimorada, tendo a previsão de chegar ao mercado entre 5 e 10 anos.

Cupons de desconto TecMundo: