A primeira edição do evento Mana Pirata acontece em um sábado, dia 1º de julho, no Rio de Janeiro. Organizado pelo Coletivo Bucaneiras, o foco é nas mulheres que atuam na informática. Para isso, o evento contará com grupos convidados que já atuam no fomento da programação para mulheres com intuito de promover autonomia tecnológica e segurança digital.

A ideia do "Meet-up Mana Pirata" é criar um espaço de aprendizagem para mulheres

"Como a área de TI no Brasil é predominantemente masculina, considerando também os dados sobre violência e opressão contra mulheres no Brasil, o objetivo desse projeto é o de incluir mulheres nestes espaços, de modo que as influências e colaborações femininas possam contribuir para a criação e desenvolvimento de softwares", diz o evento no site oficial para inscrições.

A ideia do "Meet-up Mana Pirata" é criar um espaço de aprendizagem para mulheres ao reunir várias comunidades para abarcar e desenvolver temas variados. Os temas abordados no evento vão desde segurança digital, phishing, criptografia e big data, até ao software livre e linguagens de programação, contando também com documentários, palestras, oficinas e brindes.

Uma das mesas no Mana Pirata contará com a presença de várias mulheres da área. Entre elas, estão Annia Zacchi (canal Sereia Ciclista), Fernanda Monteiro (organizadora do hackerspace Marialab), Joana Varon (Diretora Fundadora da Coding Rights), Narrira Lemos (doutoranda em História das Ciências e Técnicas & Epistemologias na UFRJ) e Silvana Bahia (diretora de projetos do Olabi, organização focada em inovação social e tecnologia).

O Mana Pirata também trará workshops com grupos de mulheres expoentes nessa área

O Mana Pirata também trará workshops com grupos de mulheres expoentes nessa área. Por exemplo, terá a presença do PyLadies, uma comunidade mundial que foi trazida ao Brasil com o propósito de instigar mais mulheres a entrarem na área tecnológica; do Pretalab, uma iniciativa do Olabi que acredita no protagonismo das meninas e mulheres negras e indígenas nos campos da inovação e tecnologia como forma de reduzir as desigualdades sociais do país; e da Luluzinhacamp, que brotou do desejo de reunir as muitas mulheres espalhadas pela internet.

Entre os temas abordados no evento, estão: "Workshop: GitHub 101", "Python por quê? Onde? E quando?", "Introdução ao Arduino com Linguagem C", "O que é programação?", "EUVOCÊTODASNÓS" e "BIG DATA E SEGURANÇA".

Programação

Meet-Up Mana Pirata

  • 8:00/8:20 – Credenciamento; 
  • 8:20/8:40 – Abertura do Evento com Ana Freitas e Zeilane; 
  • 8:40 – Início das atividades do período da manhã;

- Oficina “O que é programação? Lógica básica, fluxograma Apresentação de linguagens e utilização” com Glória C. Brito (Luluzinhacamp/Bucaneiras);
- Coffee Break;
- Exibição de “Cidade hackeada”;
- “Workshop Big Data” com Fabiana G. (Bucaneiras);
- “Palestra Annia - segurança e anonimato para ativistas online e off-line” por Annia Zacchi (Sereia Ciclista);

  • 12:00/13:00 – Intervalo; 
  • 13:00 – Início das atividades do período da tarde

- “Workshop Introdução ao Arduino com linguagem C” com Ana Carolina Da Hora (Olabi Makerspace);
- Mesa de debates com Narrira Lemos (Escola de Ativismo e UFRJ), Silvana Bahia (Diretora Olabi/PretaLab) e Fernanda Monteiro (MariaLab e InfoPreta) intitulada “Ativismo, Segurança e Privacidade e Rede de Apoio para Mulheres”. Essa mesa irá apresentar ferramentas de segurança e privacidade para ativistas e mulheres na internet. Quais são os riscos de uma exposição na rede? Quais são as precauções que as ativistas devem tomar? Ainda, como a formação de uma rede de apoio para mulheres e ativistas pode colaborar para a transformação do espaço como uma rede mais aberta e segura.

  • Data: 01/07/2017 (sábado), a partir das 8:00 
  • Local: Auditório do Sindicato dos Engenheiros. 
  • Avenida Rio Branco, 277, 17º andar – Centro, Rio de Janeiro – RJ

Cupons de desconto TecMundo: